Novidades - Editora Pensamento

05 fevereiro 2012


Livro que deu origem ao longa
7 Dias com Marylin chega ao Brasil pela Editora Seoman

Escritor britânico relata, em livro de memórias, detalhes sobre a breve e intensa aventura amorosa, os encantos e as agonias que viveu ao lado da maior estrela do cinema mundial



     Minha Semana com Marilyn, livro que deu origem ao longa 7 dias com Marilyn, com estreia no Brasil prevista para a segunda quinzena de março, chega às livrarias pela Editora Seoman. Dirigido por Simon Curtis, o filme traz a americana Michelle Williams no papel principal, perfomance que deu à ela o Globo de Ouro como atriz em comédia ou musical. Por sua atuação, Michelle concorre também ao Oscar 2012 de melhor atriz, ao lado de veteranas como Meryl Streep e Glenn Close.
     No livro, Colin Clark narra os bastidores do set de filmagens de O Príncipe Encantado, produzido no verão de 1956 e dirigido pelo britânico Laurence Olivier, considerado o mais famoso ator clássico de sua geração e protagonizado pela estrela do cinema de Hollywood, Marilyn Monroe. Em uma narrativa ágil e fluente que prende o leitor, o autor revela, com riqueza de detalhes, a história dos nove dias ao lado da atriz e o breve, mas não menos excitante, romance que viveu com a estrela.
     A obra descreve brevemente detalhes da trajetória da Clark, jovem inglês, que com apenas 23 anos conquista um emprego como terceiro assistente de direção no set de O Príncipe Encantado. O inocente rapaz começa uma intensa aventura amorosa com Marilyn depois que seu marido deixa o país e, mesmo alertado pelos companheiros de gravação sobre os inconvenientes da experiência, permite-se vivenciar as delícias que o cercam esses dias. 
     Mas nem tudo é encanto. Colin descobre naquela que todos consideram um verdadeiro exemplo de mulher - que aparenta força e ânimo, coroados por uma beleza estonteante, sempre cercada por inúmeros fotógrafos e assistentes - uma mulher frágil, confusa, assustada e totalmente carente de autoconfiança. Segundo o autor, Marilyn não tinha o senso de identidade própria, que garante uma vida estável e se sentia incapaz de lidar com as demandas que lhe eram impostas. Este perfil é pano de fundo para uma história contagiante com desfecho inesperado. 

     Imagens da estrela e uma carta direcionada a Peter Pitt-Millward, amigo pessoal de Colin, cujo texto é reproduzido em forma de apêndice no final do livro, enriquecem a obra. Trata-se de um relato franco, doce e engraçado de como a maior estrela do cinema do planeta buscou conforto nos braços de um jovem empregado do set de filmagens.


Um comentário

  1. É toda uma nova visão sobre a Marilyn! Adoro ler coisas que nos convidam a ver um outro lado sobre uma pessoa ou uma obra muito conhecida. Adorei a indicação e com certeza irei ler. Estou lendo Great Soul - Mahatma Gandhi, e por isso estou maravilhada em conhecer casos escusos de pessoas tão conhecidas. Um beijo!

    http://biacentrismo.blogspot.com

    ResponderExcluir