Resenha número 42 .

06 fevereiro 2012

A menina que não sabia ler 
AutorJohn Harding
Editora: Leya 
Nota:


Sinopse : Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula?O que esconde a Srta.Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?



O livro começa bem morno e vai ganhando velocidade gradualmente. Ao atingir o ponto de ebulição, porém, ele compele o leitor a seguir praticamente sem fôlego até a última página.Embora a trama, que se passa em 1891, seja bem estruturada, criativa e, até certo ponto, inteligente, a história navega por uma temática mórbida, protagonizada por Florence, uma garota de doze anos, que, ao lado de seu irmão caçula Giles, reside em uma mansão sombria e repleta de mistérios.Órfã de pai e mãe, ela dedica seu tempo e sua afetividade exclusivamente ao meio-irmão e aos livros. Criada por uma antiga governanta, a Senhora Grouse, e por alguns criados da moradia decadente, ela é desprezada pelo tio, a quem nunca conheceu pessoalmente. Ele se encarrega apenas de transmitir algumas regras para os serviçais e de contratar uma das preceptoras de Giles.Desprovida de quaisquer valores morais, perspectivas para o futuro e instrumentos para o convívio social, Florence se refugia no tesouro literário que habita a Biblioteca, recanto que ela descobre um dia, casualmente. Apaixonada por esse universo desde o início, impedida de sequer aprender a ler – regra máxima prescrita pelo tio -, ela se transforma em autodidata e conquista, sozinha, esse conhecimento, o qual lhe abre as portas do mundo e da imaginação.A partir deste momento, a garota passa a viver uma vida dupla. Diante do olhar alheio, Florence é uma menina estranha que perambula pela mansão da Nova Inglaterra, mas clandestinamente mergulha cada vez mais fundo neste refúgio secreto, apenas compartilhado com Giles. O problema é que, para defender os únicos tesouros que a vida lhe ofereceu – a esfera literária e o irmão -, ela é capaz de qualquer coisa.


Sobre o autor: John Harding nasceu em uma pequena aldeia Fenland na Ilha de Ely, em 1951. Após a vila local e escolas de gramática, ele leu Inglês em St Catherine’s College, em Oxford, onde ele se sentava ao lado de Martin Amis, durante uma palestra. Trabalhou primeiro como repórter e depois como escritor e editor em revistas, antes de se tornar um escritor freelance. Seu primeiro romance foi aclamado best-seller e que fizemos nossas férias. Ele mora em Richmond upon Thames com sua esposa e dois filhos.

2 comentários

  1. Eu queria esse livro fa zum bom tempo e até meu pai quase o comprou para mim. Porém, outros livros ganharam lugar e o deixei de lado, infelizmente. Aidna tenho vontade de lê-lo e ver o que a protagonista fará. Acho muito legal ela aprender a ler pelos livros da biblioteca. :)
    Adorei a resenha!
    Beijos ;*

    Ana Carolina
    http://loucospor-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esse livro e bom, já o li. Mas espera outra coisa dele.
    Bjs
    http://neversaynever-believe.blogspot.com/

    ResponderExcluir