Resenha número 45 .

09 fevereiro 2012

Eu sou o mensageiro .
Autor: Markus Zusak
EditoraIntrínseca 
Nota: 

Sinopse : Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos. Trabalha, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e divide apartamento com um cão velho. O pai alcoólatra morreu há pouco; a mãe parece desprezá-lo.

Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heróico tem conseqüência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma seqüência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas. Após certa hesitação, rende-se ao desafio. Misteriosamente levado ao encontro de pessoas em dificuldades, devassa dramas íntimos que podem ser resolvidos por ele. 
Uma mulher é estuprada diariamente pelo marido, enquanto uma senhora de 82 anos afoga-se em solidão, à espera do companheiro, morto há mais de meio século.     A ele parece caber o papel do eleito, do salvador. Convencido disso, segue instruções e se perde entre ficções de estranhos e sua própria, embaçada, realidade. A certa altura pergunta-se: "Eu sou real?" Markus Zusak cria um personagem comovente capaz de confrontar o mistério e, por meio da solidariedade, empreender um épico que o levará ao centro de sua própria existência.


Uma narrativa divertida e cativante, escrita em primeira pessoa, cheia de gírias e palavrões.
Ed é o típico anti-herói, o zero a esquerda que de uma hora para outra começa a fazer diferença na vida de varias pessoas e mudar o rumo da sua. 


De uma forma ou de outra ele é um exemplo e nos ajuda a identificar a urgência e a importância de sua mensagem! Como coisas aparentemente tão pequenas têm o poder de transformar a vida das pessoas. Mas nem todas as tarefas são fáceis.Eu achei que o final deixou um pouco a desejar (quando a identidade do remetente das cartas foi revelada).Mas nada que ofusque o brilho do livro.


Sobre o autor: Markus Frank Zusak  é um escritor australiano. Mais novo de quatro filhos de um austríaco e uma alemã, Markus cresceu ouvindo histórias a respeito da Alemanha Nazista, sobre o bombardeio de Munique e sobre judeus marchando pela pequena cidade alemã de sua mãe.


 Ele sempre soube que essa era uma história que ele queria contar. "Nós temos essas imagens das marchas em fila de garotos e dos 'Heil Hitlers' e essa ideia de que todos na Alemanha estavam nisso juntos. Mas ainda havia crianças rebeldes e pessoas que não seguiam as regras e pessoas que esconderam judeus e outras pessoas em suas casas. 


Então eis outro lado da Alemanha Nazista", disse Zusak numa entrevista com o The Sydney Morning Herald. Aos 30 anos, Zusak já se firmou como um dos mais inovadores e poéticos romancistas dos dias de hoje. Com a publicação de "A Menina que Roubava Livros", ele foi batizado como um "fenômeno literário" por críticos australianos e norte-americanos. Zusak é o autor vencedor do prêmio de quatro livros para jovens: "The Underdog", "Fighting Ruben Wolfe", "Getting the Girl", e "Eu Sou o Mensageiro", receptor de um Printz Honor em 2006 por excelência em literatura jovem. Markus Zusak vive em Sydney com sua esposa e sua filha. Gosta de surfar e assistir filmes em seu tempo livre.


2 comentários

  1. Adorei esse livro. Zusak é realmente maravilhoso!

    Beijos!

    Máh - Crazy for books.

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler esse livro. Ele deve ser maravilhoso.
    Bjs
    neversaynever-believe.blogspot.com

    ResponderExcluir