[Resenha] Cidades de Papel

04 fevereiro 2015

Cidades de Papel
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 368

Sinopse: O adolescente Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo tornou-se um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava conhecer.

E finalmente eu li Cidades de Papel. Confira agora o que eu achei (ou pelo menos tentei) de mais uma bem sucedida narrativa de John Green.


Quentin Jacobsen e Margo Roth Spiegelman são vizinhos desde que ambos tinham apenas dois anos de idade. Passaram a infância se aventurando e brincando pela cidade de Pleasantville, até que alcançaram os nove anos e Margo encontra um corpo encostado em uma árvore. O homem estava morto e só com o alerta da melhor amiga é que ele percebeu que deveriam sair dali o mais rápido o possível. Sangue saía de sua boca e, enquanto finalmente se dirigiram cada um para sua casa, é que Margo começou a reflexionar sobre o que teria levado o homem à morte.

- Talvez todos os fios dentro dele tenham se arrebentado – respondeu ela.

Um grande pulo no tempo se dá e a amizade entre os dois não é mais a mesma. Eles estão prestes a se formar, seguem suas vidas cada um na sua, até que um fato estranho ocorre. Margo precisa de ajuda para executar um plano de vingança. Ok. Passam a madrugada realizando todos os desejos da jovem, mas depois disso tudo uma incógnita aparece para todos que a conheciam. Seu sumiço é misterioso.

- Vou. Sentir. Falta. De. Me. Divertir. Com. Você.

Mas será que Margo é realmente tudo o que eles imaginavam? Eles haviam convivido com sua verdadeira face ou tudo não passava de uma farsa? Será que seus próprios fios haviam se partido? Será que ela estava cansada de viver em uma Cidade de Papel?

VOCÊ VAI PARA AS CIDADES DE PAPEL E NUNCA MAIS VOLTARÁ.

E depois de tanto tempo que o livro estava na minha estante, consegui anexá-lo em um desafio. Pra quem não sabe, estou participando do Banca Book Brasil e, justamente o primeiro livro foi Cidades de Papel. Já li boa parte das obras que o autor publicou. Infelizmente uma delas não foi tão agradável e muita pressão foi feita em cima de mim quando anunciei que finalmente me renderia a mais um livro.

Comparações foram expostas e de certa forma, algumas delas se concretizaram. Não da maneira mais convencional, mas aconteceram.

A busca pelo outro pode ser vista em Quem é você, Alasca? , mas um fato importante que observamos no meio do livro citado é totalmente diferente do que acontece em Cidades de Papel. Não vou dizer o que é, mas preferia que Margo estivesse na mesma situação que Alasca. Talvez assim o final tenha se salvado.

A escrita de Green permanece impecável, podendo ler em apenas dois dias. E tudo ocorreu bem, até encontrarem Margo. Sabe quando tu assiste a uma novela e todos os caminhos levam a um final X? E o criador da bendita resolve mudar de última hora? Pois então. Tudo o que foi construído durante mais de 2/3 do livro acabou em nem uma página.

Foi este o motivo pelo qual eu ainda não consegui digerir o que de fato ocorreu. Estou pendendo para o lado mais positivo, mas algo ainda está me desconcertando.

As cidades eram de papel, mas as memórias, não.

Por isso vou dar nota 5, com uma interrogação no final. Pode ser que um dia ela mude. Pode ser que não.

A editora manteve o padrão da diagramação interna simples, sem nenhum erro de gramática. A arte da capa foi mantida, apenas sendo modificada a disposição do título e do nome do autor. Folha de boa qualidade.

- [...] Ou talvez sejam como rachaduras no casco de um navio. [...] Chega uma hora que você naufraga.

17 comentários

  1. tenho até vergonha de dizer que nunca li nada do John green, sempre vejo resenhas maravilhosas dos livros dele,estou pensando seriamente em colocá-lo na minha próxima meta literaria.
    BEIJOSssss....

    http://sonhosdeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Depois que li "A Culpa" fiquei impressionada pela escrita de John Green.
    Quero ler "Quem é Você, Alasca?" e "Cidades de Papel". Este último vai virar filme né?
    Fiquei curiosa para descobrir o que aconteceu com Margo =)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Do John Green eu so li ACEDE, e eu amei a maneira como ele escreve e descreve as cenas. Tenho cidade de Papel; Quem é você, Alasca? mas nunca me motivei a pegá-los e ler. Achoque me impolguei com ACEDE, e quis ler até alista de compras de Green, kkkkkkkkkkkkkk Mas acho que vou incluí-lo na lista dos deste ano, e aí te conto o que achei, gostei da sua resenha e pleo visto vou gostar do livro tbm. bjs
    Eykler
    www.amorascompimenta.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Pamela!
    Mesmo que a nota 5 seja com uma interrogação, acho que vale a pena ler o livro. Infelizmente, li apenas ACEDE, mas já tenho outros livros do autor em mãos – incluindo esse – e espero mesmo ter condições de lê-lo esse ano (condições = tempo). O fato é que o Green consegue mexer com a interpretação do leitor sobre uma mesma circunstância e acho isso genial. Por vezes podemos não concordar com o que ele faz, e parece que sua narrativa até nos provoca a isso. Talvez seja essa a intenção dele, por fim (rs).

    Espero gostar do livro! Eu também tenho Quem é você, Alasca? Espero não me decepcionar.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Pamela (xará rs)
    Adorei sua resenha.. Gosto de quem opina de verdade.. As minhas são todas assim..
    Porém acho que jamais pegaria pra ler esse livro. Uma amiga leu e fez uma propaganda horrível tão eficiente que nem tenho coragem...

    Bjo!!
    www.escritaseleituras.weebly.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Pamela (xará rs)
    Adorei sua resenha.. Gosto de quem opina de verdade.. As minhas são todas assim..
    Porém acho que jamais pegaria pra ler esse livro. Uma amiga leu e fez uma propaganda horrível tão eficiente que nem tenho coragem...

    Bjo!!
    www.escritaseleituras.weebly.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa todo mundo fala dos livros de John Green e eu não li nenhum ainda, estou super atrasada! A culpa é das estrelas é tão falado que preciso ler ele primeiro haha
    Beijos!
    CarolMello.com

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Por mais que eu tenha me irritado um pouco com os personagens, gostei muito desse livro, e fiquei doida de felicidade quando soube que seria adaptado (ainda não vejo a Cara como Margo) *-* Os livros do tio João Verde são incríveis ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oieee tudo bem? O único livro que eu já li do John Green foi Will & Will que ele escreveu junto com o David, livros dele mesmo ainda não li nenhum, mas quero ler A Culpa é das Estrelas ainda este ano. Tenho muita vontade de ler Cidades de Papel, adoro essa capa e agora com o anuncio do filme fiquei ainda mais curioso para conhecer a história rs, Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi Pamela, tudo bem?
    Recentemente ganhei esse livro, e não tinha menor vontade me lê-lo. Depois da sua resenha, mudei um pouco minha visão sobre o livro. Vi várias críticas positivas, principalmente elogiando Margo. Espero ler o livro esse ano ainda.
    Abraços
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oii Pam, tudo bem?
    Eu vou admitir que não sou uma grande fã do autor, eu li apenas ACEDE e Quem é você, Alasca? e não achei grande coisa. Mas com o filme do Cidades de Papel vindo eu com certeza vou ler o livro, pode ser que ele muda a minha opinião a respeito do autor.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Do Green só li ACEDE e não tão bom assim. Quem é vc Alasca ta aqui na estante esperando para ser lido, já Cidades de papel não me interesso....
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi flor, do autor eu só li ACEDE e gostei mais do filme.

    Agora estou lendo o conto dele em Não deixe a neve cair e estou amando. Os outros livros dele incluindo esse não me chamou a atenção,Cidades de Papel não me interessou pelo fato de toda resenha que leio sobre ser sempre mais ou menos, e por seus comentários sobre a histórial, eu desisti mesmo.

    Quem sabe um dia me animo.

    ResponderExcluir
  14. Oi Tudo bem?
    Eu ainda estou meio de mal do green. Porque no final não sei se gostei de "A Culpa é das Estrelas" ou não! Estou preferindo livros mais "lindinhos" rs
    Gosto não se discuti, não é mesmo?
    rs

    Pam, adorei a resenha, espero um dia poder ler o livro, para poder vir das uns pitacos com você!

    Beijos
    Silêncio Que Eu To Lendo

    ResponderExcluir
  15. John Green e eu temos uma relação de amor e ódio, mais ódio que amor.
    Acho os livros dele muito chatos. Dos que eu li até agora, o menos pior foi A Culpa é das estrelas, que por sinal foi o primeiro dele que eu li e coloquei a culpa pela decepção em cima da expectativa que havia criado.
    Abandonei "Quem é você Alasca" por ter sido entediante, briguei com o sono para concluir o Teorema de Katherine. Desde então ando fugindo um pouco dos livros dele hehehehehehehe

    ResponderExcluir
  16. Olá Pam!
    Dos livros do John Green só li ACEDE. E simplesmente amei. Sei que depois dele vieram outros mais ouvi falar que nenhum é igual a ele. Mas pelo que vi você gostou bastante desse livro. Tenho certa curiosidade de ler outros livros do autor.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Não li esse livro do John ainda. Mas é o único que não me desperta interesse. Sei que o filme está pra sair e isso gera uma vontade enorme de ler (incluindo eu!). Mas vou deixar passar. Pois assim como você, com todos que falo sobre "Cidades de Papel", sempre fica aquele "é bom, mas..." e esse mas e que me deixa receosa.

    Beijos, Kamila
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir