Resenha número 86.

21 maio 2012


Oldar – Guerra da traição
Autor: Rondinelli Fortalesa
Editora: Dracaena
Nota: 

Sinopse: Oldar é um planeta muito antigo, ainda em seu início, quando o universo era imenso e inexplorado. Os povos começavam a conhecer uns aos outros e tinham seus primeiros conflitos motivados por paixões humanas e até sobrenaturais. A primeira narrativa de Oldar inicia-se no país do continente Oeste conhecido como Edammael, onde vivem os dans. O governo fora estabelecido no início dos tempos como reinado, no qual um homem governa sozinho o destino do povo. Houve também um reinado duplo, em que Dormom e Gormom, irmãos gêmeos que se amavam muito, reinaram em paz. Nem tudo o que é bom dura para sempre e um dia a ganância por poder levou a uma traição que dividiu o reino de Edammael em dois. O reino do norte, sob o comando de Dormom envolveu-se com magia das trevas e criou monstros para derrotar o seu adversário. O reino do sul, sob o comando de Gormom aprendeu sobre um outro tipo de magia e, usando o cajado de poder e outras armas sagradas, lutaram na primeira Guerra do continente Oeste, que ficou conhecida como a Guerra da Traição. Oldar é a primeira história da Trilogia que serve como introdução ao universo em que um guerreiro chamado Telfem viajará por todos os planetas com seres viventes usando espelhos mágicos. 





Começo a resenha mostrando um ponto negativo que faço em quase todas as resenhas da editora Dracaena e da Novo Século: a má revisão e os milhões de erros durante o livro. Alguns eu até fiquei em dúvida, pois mexia com os nomes dos personagens e cidades. Já outros, como a utilização correta dos verbos, chegou a ser grotesca. Outro ponto que merece destaque são algumas falas mal pontuadas.

Enfim, voltando ao assunto principal que é a resenha do livro. O enredo traz a história de Oldar, um mundo distante. Não sei ao certo se haverá outros livros, mas pelo que pude entender este trata especificamente dos irmãos que tornaram-se reis ao mesmo tempo e a traição que os separou. (DESCOBRI QUE É TRILOGIA \O/ UHUL )

A passagem que Datuim, através do Grande Espírito, dá a sentença à Dalém me remeteu a passagem bíblica de Adão e Eva:

“- Vocês todos estão mortos. Terão que comer para manter a vida em seus corpos, a terra não será tão fecunda quanto é hoje, pois ela poderá secar e não dar mais frutos. Os animais não os comerão em condições normais, mas se os aborrecerem ou se estes estiverem cm fome, a carne humana lhes parecerá proveitosa. A vida vai começar com dor e esta os acompanhará até o fim da carne, quando morrerão por completo. Eu lhes darei sabedoria para cuidar de suas vidas e um dia eu voltarei. Aqueles que continuarem a dar ouvidos aos enzoleios traidores serão inimigos daqueles que Me obedecem e haverá muita dor e sofrimento inominável entre vocês. Mesmo aqueles que quiserem me obedecer terão dificuldade, porque agora que podem de fato fazer o que quiser terão sempre dúvida no coração e nem sempre poderão me ouvir com clareza”.

Mais pra frente tem uma outra passagem que remete à formação dos continentes no planeta Terra:

“Daenel bateu a ponta de seu cajado marrom no chão e a terra tremeu, saíram vapores da terra e subiram até línguas de fogo que ao entrar em contato com o ar e a água endureciam e formavam coisas novas, até terras novas. A grande massa de terra de Oldar foi dividida em muitos pedaços, dando origem a três grandes massas de terra. Dessa forma os erchominos foram divididos em grupos.”

Não sei se brisei muito com relação à isso, mas foi o que eu percebi em alguns pontos da narrativa.
O livro é perfeito com relação a construção do enredo, além de trazer muita magia.


Sobre o autor: Sou o Rondinelli, tenho 27 anos e sou autor de ficção fantástica, gosto muito dos autores Tolkien, Lewis, Saramago e Rowling. Desde criança eu costumava escrevinhar coisas até que um dia decidi formalizar minhas idéias e criei o que eu chamo de Telfem, um personagem com poderes fantásticos e que viaja por entre os mundos do pluriverso. Divergindo de outras histórias que falam primeiro do momento de máxima importância e depois retornam para contar como tudo começou, eu parti do início, contando a história de Oldar, o primeiro mundo criado e onde o Telfem nasceu.




3 comentários

  1. Adoro livro que envolve magia e reis *_________*
    Apesar de que eu não gostei muito da resenha :/

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da resenha e garanto que os 2 outros livros da trilogia ficarão bem melhores. O segundo já escrevi e lanço ao final do ano, o terceiro ainda estou escrevendo.
    :D

    ResponderExcluir
  3. Sim, o Fortalesa se inspira muitooo na narrativa biblica para construir sua história, eu percebi os problemas que vc citou, mas confesso que não os privilegiei na resenha.

    ResponderExcluir