Roquenrrou

13 julho 2012


Sexta-feira 13. Dia Mundial do Rock. Querem mais o que?
O blog O Leitor fez um levantamento de quais livros estão ligados diretamente ao ritmo mais ouvido e popular de todos os tempos.
Passamos também por biografias de ícones que fizeram e fazem parte do cenário – popular ou underground – do rock. Bora lá conhecê-los?

O Pequeno Livro do Rock
Autor: Hervé Bourhis
Editora: Conrad
Este livro é um diário particular do rock, escrito com base naquilo que o autor leu e ouviu durante décadas em revistas, canções e filmes que marcaram as gerações. Ilustrado através de capas de discos, letras de músicas, cortes de cabelo, fatos e boatos. O autor retrata situações curiosas sobre personagens desconhecidos. Há ainda as 'batalhas', onde Hervé lista e compara discos de dois artistas ou grupos diferentes - Chuck Berry ou Little Richard, Lou Reed ou David Bowie, Nirvana ou Pixies? 
 
Almanaque do Rock
Autor: Kid Vinil
Editora: Ediouro Publicações

Neste divertido almanaque do apresentador, músico e legítimo roqueiro Kid Vinil, a trajetória do rock é contada desde os primeiros roqueiros, com forte influência da música negra americana, passando por grandes nomes, como Elvis e Bob Dylan, os Beatles e os Rolling Stones, até os dias de hoje. As mudanças comportamentais e sociais impulsionadas pelo estilo, além das polêmicas, as vendas estrondosas de discos, as drogas, os videoclipes e muito mais também são retratados pelo "Almanaque do Rock", de modo leve e com uma dose certeira de humor, como um bom rock deve ser.


Que Rock é Esse?
Autor: Edgard Piccoll
Editora: Globo


50 anos de muito rock´n´roll brasileiro Da Jovem Guarda à Pitty, a evolução do rock  é abordada no melhor estilo almanaque.O rock brasileiro já tem quase 50 anos de história. Para registrar e contextualizar as principais bandas nacionais, a Editora Globo e o canal de TV a cabo Multishow lançam Que rock é esse?. O projeto surgiu do programa homônimo de televisão apresentado por Beto Lee. Além de documentar a trajetória do rock até a atualidade, o livro traz análises e comentários de ícones do estilo musical no país, como Rita Lee, Nelson Motta, Lobão, Frejat, Samuel Rosa, Edgard Scandurra, Dinho Ouro Preto, Pitty, Fê Lemos, Evandro Mesquita, Gabriel o Pensador, Samuel Rosa e o jornalista Ricardo Cruz. A apresentação e os textos fictícios - que caracterizam as épocas referidas - ficam por conta de Edgar Piccoli.No livro, o rock internacional serve como referência, posicionando o leitor nas tendências dos respectivos momentos históricos. Dividido em cinco partes (anos 1960, anos 1970, anos 1980, anos 1990 e anos 2000), Que rock é esse? traz uma linha do tempo para cada década. Nelas, constam os acontecimentos mais importantes da política, do cinema, da moda e da música.Listas imprescindíveis para o conhecimento musical estão espalhadas ao longo da obra, como “Os 10 discos de rock internacional mais vendidos”, “As 10 músicas brasileiras de rock que bombaram na década”, “Os 10 shows internacionais mais importantes no Brasil”, entre outras. Pequenas listas com as gírias mais faladas também podem ser encontradas. Nada mais justo, já que a maioria das inovações visuais e orais tem sido proveniente da cena rock’n’roll.Revelações de bastidores e análises sobre o panorama musical se intercalam, o que torna a leitura leve e, ao mesmo tempo, acrescenta muito à bagagem cultural do leitor. “E Ronnie [Von] disse: Estou lendo um livro chamado O império dos mutantes. Ganhamos o livro e achamos tão genial que passamos a ser Os Mutantes”, conta Rita Lee. “Talvez um dos grandes hinos da abertura política no Brasil tenha sido Inútil [A gente não sabemos escolher presidente, a gente não sabemos tomar conta da gente... Inútil, a gente somos inútil!]”, pondera Edgard Scandurra.
Rockabilly, heavy metal, punk rock, pop rock, emocore, indie rock. Da Jovem Guarda à Pitty foram cinco décadas de rock para todos os gostos e de todos os tipos. Essa história faz parte não só da música brasileira, mas também da identidade nacional.       


Espero que tenham gostado desta pequena seleção de obras que tratam sobre o estilo musical mais ouvido em todo o mundo e espero vocês nas próximas edições do gênero.

Um comentário

  1. Legal o post, hoje em dia o rock tem participado da degeneração literária, perdendo a melodia e partindo para lixos sonoros com letras indignas e se misturando cada vez mais a cultura de baixo escalão que o Brasil apresenta agora.
    O Rock se perde, mas ainda há pessoas que lembrem da virtude dele... Matanza é um exemplo...

    Hoje é dia do Rock, é dia de Elvis, de Ozzy, de Genne, de Kurt, The Beatles, The Doors e todas as outras bandas que fizeram história...

    Não deixe o Rock n' Roll morrer.

    Abraços,
    G. Pedro
    skoobeiros.blogspot.com

    ResponderExcluir