[Resenha] O Ritual, de Jéssica Anitelli

01 maio 2013


O Ritual
Autora: Jéssica Anitelli
Editora: Dracaena
Número de Páginas: 378

Sinopse: Será mesmo certo um humano conviver tão próximo ao seu maior predador? Júlia pensava que seu amor por Diogo era maior que tudo e que a partir daquele momento as coisas se ajeitariam e eles, finalmente, poderiam ficar juntos. Será mesmo? O Conselho dos vampiros não deixará a pobre garota em paz, pois ela carrega consigo a maior arma de eliminação da sua espécie. E se não bastasse essa perseguição que a deixa transtornada, há também Marta, que continuará a mexer com as emoções do jovem vampiro de olhos verdes e da menina ruiva. Observando tudo de cima está Henrique, que não abandonará o corpo de seu parente até que o ritual seja realizado e assim possa voltar ao que era há mais de 100 anos. Mas até que isso aconteça, este vampiro que não possui dentro de si nada de humano, causará conflitos e dores. O segundo livro da série promete arrebatar o leitor do começo ao fim e levá-lo a manifestar sentimentos dos mais variados.


              No segundo livro da saga O Punhal, vemos uma Jéssica Anitelli mais madura com relação à escrita e ao desenvolvimento dos personagens. Esse amadurecimento parte também da perspectiva de fatores extremamente importantes que giram ao redor de acontecimentos inacreditáveis.
              O Conselho está atrás de Diogo, Júlia e o filho que carrega em seu ventre [SPOOOOOOOILER] (e que lá pelo final do livro descobrimos que é a pequena Beatriz) [/SPOOOOOOOILER]. Os vampiros subalternos querem acabar de todo jeito com o covil de Augusto. E é claro que ele não ia deixar por menos. Um grande esquema de proteção aos três então é iniciado. Grandes revelações surgem e, com elas, novas surpresas e exclamações a todo momento.
              E como todo amante de boa literatura vampiresca, Jéssica não podia deixar por menos e atacou as fãs de Crepúsculo, série de livros e filmes que é muito comparada à saga da nossa autora nacional. A passagem abaixo ilustra bem um dos momentos mais descontraídos do livro e que me fez dar gargalhadas por um bom tempo.

- Mas vocês não brilham no sol?
- Pô, meu! Brilhar no sol? – gargalhou. – Já até sei da onde você tirou isso. Não se iluda com essas historiazinhas de vampiros que mais parecem fadas. Não sou a Sininho... Sou um vampiro de verdade, e vampiros são pulverizados pelo sol.

               Uma das cenas que mais me deixou contente é com o assassinato de uma personagem secundária e que aos poucos ganhava espaço dentro da narrativa. Dei pulos de alegria logo após que a morte foi concretizada. Essa personagem merecia morrer daquele jeito e até hoje não entendo o porque da autora tê-la criado.
                E o casal mais lindo do livro é ........

             Miguel e Açucena. O líder dos vampiros no Brasil e sua mulher, uma índia belíssima. Ambos se conheceram na época da colonização do Brasil e desde então nunca se separaram. São 452 anos juntos e ambos se unem mais a cada novo desafio.

- Mesmo depois de 452 anos juntos, você ainda me surpreende – disse Açucena, rindo.
- Preciso ser criativo. Não é fácil manter uma mulher apaixonada por tanto tempo – beijou-a.

               Aprendam, homens! Hahahaha
              Com certeza este é um dos livros que nos traz mais revelações e surpresas. Temos ação, romance, mortes, tudo dosado na medida para cativar cada vez mais a atenção dos leitores. Como disse no começo da resenha, este é o lado mais amadurecido de Jéssica Anitelli e devemos aproveitá-lo! Parabéns por mais uma obra maravilhosa! A Editora também arrumou mais a parte de revisão e neste não vemos quase nenhum erro. A diagramação é ótima, com papel pólen e letras espaçadas e com tamanho dignos para não cansar as vistas durante a leitura.
                Fico curiosa para saber o que acontecerá nos próximos volumes da série, que você pode conferir abaixo:

- O Punhal (publicado pela Editora Dracaena em fevereiro de 2012)
- O Ritual (publicado pela Editora Dracaena em abril de 2013)
- O Conselho (sem data de publicação e sem editora)
- A Herdeira (sem data de publicação e sem editora)

               E, como não podia perder a oportunidade, fui buscar meu exemplar no dia do lançamento aqui em São Paulo, no sábado, dia 20 de abril, na Martins Fontes da Avenida Paulista. Trouxe para vocês marcadores e bottons, mas consegui montar apenas um kit. Portaaaaaanto, quem comentar aqui na resenha (sem ser aquele velho e maravilhoso “gostei”, “curti”, “bacana, segue meu blog?”) estará concorrendo ao kit abaixo. Lembrando que as regras são as seguintes:

- Comentar na resenha (comentário com conteúdo!)
- Ser residente no Brasil
- Não esquecer de colocar um e-mail válido no comentário para poder entrar em contato

O sorteio será realizado no dia 15 de maio. Vocês tem duas semanas para concorrer! Então, larga de ser preguiçoso(a) e comenta! Beijinhos e até a próxima ;)

11 comentários

  1. Nossa, surpreendente! Um vampiro casado com uma índia? E a história... Aguçou minha curiosidade! Muito bom! Achei excelente, está na minha lista de aquisições futuras. Adorei a resenha, fiquei realmente curioso.

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante a resenha. Fiquei curisa em conhecer a história desde o início.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha! Fiquei curiosa em conhecer a obra.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pam!
    Depois de eu te encher bastante eis que está aqui a resenha hehe
    Simplesmente amei <3
    Fico feliz que tenha gostado, principalmente do Miguel e da Açucena, também adoro eles.

    Abraços e beijos
    Jéssica Anitelli

    ResponderExcluir
  5. Não li o primeiro livro, então dei uma puladinha básica nas partes da história para não pegar spoiler (vai que eu leio o livro depois...).
    Acredito que eu teria problemas para ler por causa dos "ataques" contra Crepúsculo, mas tudo bem. Pelo que você falou, a história parece ser bem legal :}
    Adoro botton, então...
    Beijos,
    Mari - mariana.pg@hotmail.com
    http://mundo-da-noite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Essa do brilho no escuro foi muito massa!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Sininho é foda! kkkkkkkkkkkkk
    Já gostei!!!

    Ótima resenha, mesmo com os spoilers (eles nunca me incomodaram).

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Preciso terminar de ler O Punhal, mas confesso que não gostei do quote e muitos leitores de Crepúsculo terão a mesma reação.
    Beijinho, otima resenha!

    Mari

    ResponderExcluir
  8. Morri de rir da quote que ele fala do "brilhar" no sol. Realmente acho que certas séries por aí tem vampiros que mais parecem fadas do que vampiros.
    Essa série me despertou o interesse depois que vi um post sobre ela em outro blog, sinceramente, não tinha visto ninguém falar sobre ela, e agora que li mais a respeito (sem ler os spoilers kkk') até que me interessei bastante. Peguei um preconceito bobo com livros de vampiros e faz tempo que não leio um livro com o tema, apesar de gostar tanto, tenho que parar com esse preconceito logo ^^


    marina.mf15@yahoo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Pam,
    Estou lendo o primeiro livro dessa série e gostando, esse ponto de vampiros depois do sucesso do crepúsculo... ri muito com esse trecho dos vampiros que brilham.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  10. Olá :)
    Como vai?

    Gostei da tua resenha e como eu li o primeiro livro estou mais curioso para ler *----*
    Beijos e cuide-se

    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir