[Resenha] O Titereiro dos Mortos

30 setembro 2013

O Titereiro dos Mortos
Autor: Douglas Eralldo
Editora: Literata
Número de Páginas: 187
5_estrelas.png (145×27)

Sinopse: Daniel descobriu que tinha um dom numa noite trágica de réveillon. Por alguma razão ele podia ouvir e conversar com os mortos. E também podia fazê-los voltar a viver. Gabriel por muitos anos manteve aceso o desejo de vingança. Sua família tinha se desfeito numa única noite em que fogos comemoravam a passagem do milênio. Abandonado em um orfanato ele passou por experiências traumáticas enquanto o causador de tudo estava sob a proteção da igreja. E agora que os mortos voltaram a andar sobre a terra travando uma guerra macabra, é a disputa particular entre estes dois irmãos que irá definir o destino e a sobrevivência da raça humana! Mergulhe na trama onde uma mente doentia em busca de vingança e poder controla os mortos conduzindo-os por uma história repleta de violência, sexo, horror e suspense.

Daniel é ainda um menino quando perde os pais em uma fatídica noite de ano novo. Em parte, a culpa para que eles tenham morrido foi sua, após apresentar seu mais novo velho amigo, o cãozinho Bolota. Então você me pergunta: mas o que um cachorrinho inofensivo pode causar para que uma família se dissipe?


Tudo estaria na mais perfeita sintonia, se Bolota não estivesse morto até poucas horas antes. É o seguinte: a família se mudou para uma nova casa, e pouco depois, Bolota foi atropelado, causando sua morte instantânea. Quando o menino Daniel vai enterrá-lo, chora copiosamente e entoa uma prece, uma reza para que o animal volte à vida. E não é que dá certo? Só que toda ação tem sua consequência e no final da noite, Bolota se divertia, saboreando o sangue de sua antiga dona já morta.

Daí por diante, a vida dos três irmãos tomou rumos distintos. Daniel foi resgatado para um convento após a história da ressurreição cair nos ouvidos do santíssimo Papa. Gabriel permaneceu no orfanato, sofrendo nas mãos dos mais velhos que lá habitavam. A pequena Madalena foi adotada por uma família bem abastada.

Tudo ia bem para Daniel. Ele estudava tudo sobre o catolicismo e tinha ajuda de seus “padrinhos” do mundo religioso, o Padre Roque e o Cardeal Sinésio. Até o dia em que o jovem seminarista cai em tentação e consome o amor intenso por Maria. A morte da jovem pelos dois foi a única solução para apagar o pecado cometido pelos dois. E o moço jura vingança, encontrando-a no cemitério e trazendo a bela mulher e amante de volta à vida, já com os primeiros sinais de decomposição e putrefação.

Gabriel reencontra a irmã perdida e tenta avisá-la sobre o apocalipse que está próximo de acontecer. No início ela acha que o irmão está desorientado, que tudo não passa de um estado de loucura, mas pouco a pouco a jovem de quinze anos muda de opinião. E diz que vai atrás de Daniel em busca de vingança pela morte dos pais.

E é nesse ambiente que o livro se passa. Através da narrativa em terceira pessoa, podemos observar de perto o que cada personagem do livro faz, por onde caminham e quais são as consequências dos atos praticados por cada um.

A leitura é rápida e flui de maneira incrível. A cada página lida, mal esperava para ver o que aconteceria no final. Douglas conseguiu com maestria aliar uma narrativa simples à um tema literário forte e sangrento como é o dos zumbis. Não consigo me imaginar sem ler a continuação da série! Pena que o segundo volume só está previsto para o ano que vem. Isso é maldade, rs.

Ah, a melhor parte é que o livro é ambientado no Brasil, mais precisamente em Porto Alegre, então fiquei contente em ver um autor nacional colocando um personagem mundial em nosso país.


Super recomendado. Vale a pena adquirir pessoal! Só vale ressaltar que há linguagem erótica em algumas partes do livro, portanto, não reclamem depois crianças. 


2 comentários

  1. Oi querida! Acabei de conhecer teu blog, é um xodó, estou seguindo <3
    Eu nunca ouvi falar nesse autor nem nesta editora... Acredita? hahaha
    Adoro histórias de Zumbis, mas nunca li nada em livros, então tenho um pouco de receio de não gostar...
    Adoro quando os livros são de autores nacionais e que usam também nosso território nacional, acho incrível <3 <3
    Fiquei muito curiosa e interessada rsrs Vou ir atrás do autor e buscar mais sobre esse livro, obrigada pela dica!

    Beijos, Carol
    http://estantedasfadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uma história diferente de Zumbis... hehehe
    A primeira coisa que me veio a mente enquanto lia, foi o Nico di Angelo do Percy Jackson.
    Eu gosto de livros curtos para ler entre uma e outra história maior. E gostei bastante da proposta do livro. Já anotei para próximas leituras.

    Beijos,
    Bell

    contosdoguerreiro.blogspot.com.br/ ( Se puder, segue lá)

    ResponderExcluir