[Resenha] Ligações

20 abril 2015

Ligações
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Número de Páginas: 304

Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura. Talvez sempre esteve em segundo plano. Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família e o marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças. Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo. Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer... Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?


Georgia e Neal não tem nem 40 anos cada um e pouco mais de 10 anos juntos, mas a árdua vida do casal, que tem duas meninas – Alice e Naomi (Noomi) - , não é mais o mar de flores que já foi um dia. O casamento não anda bem das pernas e a jovem só pensa em seus próprios planos, deixando de lado os que construíram, a duras penas, juntos.

É dezembro e o Natal se aproxima com rapidez. Georgia tem apenas 4 dias para entregar quatro capítulos de um programa criado com seu fiel escudeiro, Seth. Este é o sonho da vida dos dois. Mas uma viagem está programada para Omaha, onde os quatro passariam as festividades junto da mãe de Neal, que era viúva e quase não via as netas.

Ela não sabia o que fazer, mas acabou deixando de lado o lado religioso da comemoração e pensou em ficar pela cidade, viajando somente nas férias da família. A grande mudança foi na atitude de Neal quando soube da decisão de Georgia. Ele simplesmente afirmou que viajaria com as meninas.

- De qualquer forma, o verdadeiro significado do Natal não são os presentes, é Jesus. Mas não pra gente, pois não somos religiosos. O verdadeiro significado pra gente é só a família. 

E é quando ela se vê sozinha que tudo acontece.

Sua mãe acha que eles estão se separando e pede para que ela passe um tempo a mais com sua progenitora, sua irmã e seu padrasto – que tem quase sua idade, apenas 3 anos mais velho. Como Georgia vive sem bateria no celular, e recorre ao velho telefone amarelo que tem em seu quarto de infância. O que ela nem imaginava é que algo de muito estranho aconteceria durante as ligações.

Logo de cara, o primeiro que a atende, é seu sogro, já falecido. O choque é gigantesco e, somente depois de pensar muito, ela entende que está conversando com o Neal de antes do pedido de casamento.

Será que ela estava vivendo como no filme De Volta para o Futuro?

Com o tempo, ela pensa melhor e acaba dando uma segunda chance ao acaso. Será que Neal não seria mais feliz sem ela por perto? Afinal de contas, ele sempre anda chateado com suas atitudes, com seus defeitos.

Mas isso seria o correto a ser feito? Georgia deveria abrir mão de toda a felicidade que já passaram juntos e os dois frutos maravilhosos que haviam tido só por puro capricho?

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Este é o primeiro livro da Rainbow com o qual eu tenho contato. Mesmo com Eleanor & Park em casa, optei pelo desconhecido e não pensei duas vezes antes de solicitá-lo para a editora.

A narrativa de Rowell é deliciosa e confusa, confesso, afinal conhecemos o presente e o passado dos protagonistas de Ligações assim, ao mesmo tempo. Mas com um pouco de atenção, comecei a perceber quando era a Georgia do presente e a do passado.

Outro ponto interessante é: Georgia é um porre. Ela parece ter pouco mais que 15 anos quando recomeça a conversar com o “futuro marido”. Ok, eles parecem ter se conhecido há pouco tempo, planejam tudo o que já aconteceu, mas não precisava apelar pra criancice.

Agora quando o assunto é Alice e Naomi. Ah, como elas são lindinhas, principalmente Naomi, chamada carinhosamente de Noomi, que imita um gatinho a toda hora.

Novamente, termino a resenha sem saber se gostei do livro ou não. Uma incógnita se formou em minha cabeça e não sai dela desde sábado.

A grande moral está em valorizar os pequenos detalhes do dia-a-dia em família, lembrando que seu emprego é importante, mas deixar aqueles que mais te amam por causa de dinheiro não garantirá que sua vida não seja sem cor e infeliz ao estar sozinha.

A diagramação é simples e a capa é lindinha, embora eu  prefira a que foi publicada lá fora e que você pode conferir aqui embaixo!
Em suma, eu que não gosto muito de romances, acabei mergulhando de cabeça em uma leitura que não sabia o que esperar. E por incrível que pareça, me surpreendi muito durante a narrativa. Com certeza este é o primeiro livro da Rainbow Rowell lido, mas não será o último.  

9 comentários

  1. Pam,
    Logo que vi o livro pensei como seria a história, não quis ler sinopse nem resenhas pra não criar muitas expectativas, abri mão dessa parte e acabei lendo somente a sua, é tão engraçado quando ficamos com esse sentimento por um livro, não sei gostei ou odiei.
    Esse é um livro que quero muito ler, mas antes tenho outro livro da autora aqui que pretendo ler antes, que por sinal me falaram que a protagonista tem coisas bem semelhantes comigo rs
    Ligações pra mim pelo que vi, será uma leitura diferente, encantadora, mesmo com esse inicio um pouco confuso entre o presente e o passado.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos
    Mari - http://marifriend.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu vi uma resenha do livro há alguns dias e não tinha despertado minha atenção. Mas, agora, e até lendo o quote da foto, achei diferente... vai entender a mentalidade humana! O livro me parece uma mistura de clichê com diferente... heheheheh Creio que preciso ler :D
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oieee, tudo bem? Não conhecia o livro, apesar de achar a premissa interessante acho que não leria, ultimamente estou com tantos livros atrasados que estou lendo somente aqueles me chamem muito mas muito a minha atenção, não tem como ler todo livro que achar interessante kkkk, achei a capa internacional mais bonita, um ponto que chamou minha atenção durante a resenha é o fato de vc citar que a escrita é as vezes deliciosa mas confusa, eu definitivamente não gosto de narrativas confusas então acho que o livro não iria me agradar, mesmo assim valeu pela dica, Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Acho que esse foi o livro da Rainbow que eu menos gostei até hoje. Li a versão em inglês e tive muita dificuldade em me identificar com os personagens principais e com o enredo em si. Mas a narrativa, em geral é boa.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?
    Eu nunca li nada da autora e não sei se tenho vontade, não me leva a mal mas acho que o gênero que ela escreve não é a minha praia kk, mas se um dia eu optar por começar a ler algo dela eu quero começar com esse ou com Eleanor e Park.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Pamela, tudo bem??

    Quando recebi o livro da editora eu iria ler, mas recebi muito livros e terminei dividindo com a minha resenhista e ela ficou com ele e como ela é rápida no gatilho já leu rs... eu gostei muito da premissa... ainda quero ler... essa pegada de voltar no tempo me interessa muito... a moral da história também é desafiadora... temos mesmo que dar valor a família não importa o que aconteça porque ela é a nossa base... xero!

    ResponderExcluir
  7. Oi Pam, sua linda, tudo bem?
    Acabei de ler uma resenha desse livro e me apaixonei pelo conceito e pela história. É uma grande segunda chance que o Destino está dando a ela. Fiquei triste em saber que ela só pensa no trabalho e não valorizo a família. Espero que ela pegue essa oportunidade e lute por sua família. Quero muito ler.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oiee Pam, nunca li nada da autora, e sinceramente nunca me interessei muito pelos livros dela, e sobre essa coisa e passado e presente, acho chato isso em alguns livros e acabo perdendo a paciência, rsrsrs
    www.muchdreamer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá tudo bem?
    Tenho muita curiosidade em ler algo da autora, ela me parece ter uma narrativa muito boa e histórias geniais. Ainda não li nada dela, mas esse seria um bom livro para se começar, apesar tratar-se de um romance ele me parece ter uma história bem envolvente e eu gostaria de poder conferir melhor.
    Carlos.

    http://blogchuvadeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir