[Resenha] Pulsação

27 agosto 2015

Pulsação
Autora: Gail McHugh
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 352
 
Sinopse: Emily Cooper sempre pensou que iria se casar e viver ao lado de Dillon Parker. Porém, após conhecer Gavin Blake, toda essa certeza foi por água abaixo. Arrebatada pelo sexy empresário, ela se entregou a uma paixão avassaladora, mas que logo foi abalada por uma dolorosa revelação. Mesmo com o fim do tórrido relacionamento, Emily está disposta a arriscar tudo para ficar com o homem que domina seus pensamentos e sonhos desde o dia em que se conheceram. Agora ela só pode se apegar à esperança de que Gavin ainda a deseje, apesar de todos os seus erros e defeitos. Com o coração partido, Gavin se isola da sociedade e se fecha em um mundo autodestrutivo. Emily não está acostumada a ser forte, mas terá que encontrar dentro de si a coragem e a confiança necessárias para lutar por seu amor e trazer Gavin de volta. Neste desfecho da série, os leitores ficarão ainda mais apaixonados por Emily e Gavin, envolvidos em uma jornada de perder o fôlego e acelerar a pulsação.

Advinhem quem finalmente resolveu terminar a duologia mais querida de 2015!!!! SIIIIIIM. EU LI PULSAÇÃO. Só não posso dizer que esta resenha será das mais felizes, mas isso vocês verão agora, ao continuar lendo o post.


Quando li Tensão, lá pelo mês de março, tinha dito que estava apaixonada por um tal de Gavin Blake. Isso continuou em Pulsação. A única diferença é que de primeira favoritei algo que talvez não se desenvolvesse do jeito que esperava.

Depois de abandonar sua paixão repentina, Emily finalmente acha que poderá se casar e ser feliz com o homem que passou a maior parte da vida, Dillon Parker. Mas é no dia do casamento que ela realmente percebe que Dillon não é mais o cara que ela um dia conheceu e que não é com ele que ela quer passar o resto de seus dias. Então decide de uma vez por todas colocar um ponto final no relacionamento. Mas é claro que nem tudo são flores e, depois de levar uma bela surra do rapaz, acredita estar – enfim – livre para prosseguir com o amor por Gavin.

Por 216 horas... sentindo-se morta.
Por 12.960 minutos... sentindo-se perdida.
Por 777.600 segundos... sentindo-se completamente entorpecida.

Paralelamente, acompanhamos a saga do sexy empresário que mexeu com a cabeça de Emy. Ele está arrasado por ter entregue seu coração à jovem e ela ter feito o que fez com todo o sentimento depositado. Mas não consegue esquecer por um só minuto seu olhar, seu sabor.

[...] Você é a cor na minha tela vazia, a luz na minha escuridão, o ar nos meus pulmões e eu quase o deixei escapar. Quase apaguei o nosso relacionamento. Não posso imaginar ficar sem você. Por favor, me diga que você sabe quanto eu te amo, Gavin. Eu preciso ouvir agora. Por favor.

No México, eles se encontram novamente e reascendem o fogo que havia sido apagado. O casal vai à loucura e temos muitas cenas calientes entre os dois.

E é com um grande acontecimento que há novas reviravoltas na vida dos dois amantes. Claro que eu sou uma pessoa muito boazinha e NÃO vou contar pra vocês o que é (sem spoiler, #choramais), rs. Mas este fato é meio recorrente entre os livros que fazem parte de séries eróticas. Talvez este tenha sido um dos pontos que me fez não gostar taaaaaanto assim de Pulsação. Ah, e é claro que Emily continua uma bela chatinha. Conseguiu o lugar com grande êxito e não sai de lá tão rápido não. Mesmo com Gavin dizendo e provando que a ama, a garota só sabe fazer burradas (e isso me irritaaaaaaa).

Então, o que posso dizer? Gavin está cada vez mais sedutor, digno de um rei dos primatas e dos desmaios (quem ler vai entender hahaha). E com certeza é ele quem faz o livro ser um pouco mais cômico e menos dramático, embora seja superprotetor ao extremo.

E um aviso a Gail McHugh: TU QUIS ME MATAR DO CORAÇÃO É? - entendedores entenderão (vide capítulo 18).

Outro aviso à Natália Alexandre (digníssima pessoa que cuida da parceria com meu pequeno bloguinho): PORQUE RAIOS VOCÊ NÃO ME AVISOU QUE IA TER ESSE CAPÍTULO BOMBA? OLHA, EU QUASE ENFARTEI E REALMENTE JOGUEI O LIVRO LONGE.

A editora manteve um padrão na publicação dos livros, com qualidade incrível no papel de impressão, capa tão linda quanto a do volume anterior e diagramação interna relativamente simples. Não lembro de ter encontrado nenhum erro de revisão \o/ .


Mesmo com alguns aspectos negativos que fazem parte da construção da narrativa e dos personagens, o livro é, em sua maioria, muito proveitoso. Me encantei com a escrita de Gail e espero que a editora aposte em mais livros dela. OUVIU, EDITORA ARQUEIRO? SEI QUE TEM SÉRIE NOVA DELA SENDO PUBLICADA LÁ FORA E POR UM ACASO O TÍTULO É TORN HEARTS. PODEM COMPRANDO PRA ONTEM.



Um comentário

  1. eu queria ler o primeiro livro desse duologia, mas eu vi uma resenha tao negativa sobre ele que acabei desistindo! amei sua resenha e fico feliz que mesmo com alguns pontos negativos a leitura foi otima para vc!

    ResponderExcluir