[Resenha] Amor Imortal

11 novembro 2015

Amor Imortal
Autora: Ana Carolina KJ
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 256

Sinopse: Após a morte de seu pai, Anna Bonnier tenta recuperar um pouco de sua felicidade ao viajar para uma estação de esqui com sua melhor amiga, Loreta. Entretanto, o que era pra ser um simples passeio, acaba por se tornar um desafio sobrenatural. Anna conhece o enigmático Raziel e percebe uma forte conexão que vai além da realidade, sobretudo quando descobre que o sentimento que tem por ele atravessa os séculos. Aos poucos, a proximidade que constroem juntos traz novos riscos. O relacionamento amoroso que ela sempre desejou pode desaparecer de forma trágica, assim como o homem que abriu seu coração. Passado, presente e futuro caminham juntos nessa emocionante história de amor e sedução, em que a realidade é capaz de alterar, a qualquer momento, o destino de cada um deles.

E lá se vai mais uma resenha de um livro que eu mal sabia do que se tratava e que eu solicitei de parceria. Na maioria das vezes, eu costumo acertar numa boa e amo as leituras. Acho que não posso dizer o mesmo de Amor Imortal. Não é que ele seja de todo ruim, mas alguns pontos não me cativaram. Quer saber o que é? Continua lendo!


Em Amor Imortal conhecemos a história de Anna. Ela é uma carioca jovem e cheia de vida, mas após a morte do pai, acaba entrando em um estado como uma depressão. E é por isso que Loreta, sua melhor amiga, acaba arrastando ela para Aspen, em busca de diversão, esquiando na neve e nas montanhas que há no local.

Loreta acha que ela deve se divertir e, conhecendo como é a amiga, apresenta dois rapazes que ela encontrou na pista de esqui, Erick e Marcos. Claro que os dois são muito bonitos, mas algo no olhar deles faz com que Anna tenha receio de uma possível aproximação. Não é o que acontece com Loreta. Quando menos esperam, ela está aos beijos com Marcos. Há uma coisa no ar fazendo com que Anna se sinta em perigo.

E quando ela se dirige até outro ponto do hotel, acaba “trombando” com Raziel, um jovem tão bonito quanto os anteriores. A diferença é que ela se sente protegida ao lado do novo desconhecido. Todos seus instintos mais primitivos se afloram e ela só pensa em como deve ser bom estar em seus braços. Ao mesmo tempo em que ela achava loucura a história de Loreta com Marcos, estava doida para se aventurar em algo parecido com Raziel.

Demônio ou anjo. Vida ou morte. Azar ou sorte. Mesmo que eu não saiba quem és, confio em ti. Olhei fundo em seus olhos e vi o meu reflexo. Um ardor se espalhou em meu peito. Percebi que havia algo além de um simples encontro, algo inexplicável e familiar, como se a sua alma fizesse parte de mim.

Aí tudo começa a conspirar contra nossa protagonista. Primeiro, ela é empurrada na pista de dança e acaba parando do outro lado do lugar. Depois, esquiando com Loreta, Erick e Marcos. Eles estão em uma trilha não oficial, e ela acaba se perdendo dos demais. Estaria morta se uma sombra misteriosa não a tivesse salvo.

Passado, presente e futuro se unem de uma maneira indescritível. Raziel e Anna tem contas a acertar em suas vidas e, aos poucos, a jovem finalmente entende o porque ela tem lapsos de memórias que parecia já ter vivido.

O amor dele era o complemento da minha alma, a razão de tudo o que eu era... Passado, presente e futuro.

E assim a narrativa tem prosseguimento. A autora soube escrever de um jeito rápido e sem muitos rodeios, sem muito detalhismo. Mesmo assim, não consegui me prender na maioria das páginas e parágrafos que acompanhei. A não ser o dos quotes, achei tudo muito superficial. Gostaria de mais características de Raziel, Erick, Marcos, e até mesmo de Anna e Loreta, para poder imaginar como eles seriam se realmente existissem.

Além disso, romances que abordam jovens se conhecendo e já se amando não conseguem descer goela abaixo. Loreta nem conhecia os meninos e já foi cheia de intimidade para cima deles hahaha. Mesmo que haja um porque disso tudo que, e que conforme você avance a leitura vai entendendo, eu não consigo engolir. Senti o mesmo que ao ler os livros da Bella Andre, os primeiros, e não gosto nada da sensação de tudo ser imediato, sem compromisso, sem conhecimento.

Um ponto positivo foi o uso da língua primitiva, a qual o português foi originado: o latim. Pude cursar um semestre dele na faculdade e, se tivesse uma oportunidade, aprofundaria meus estudos. E com certeza ele foi muito bem empregado por Raziel.

Bom, vamos tentar traçar um paralelo entre os personagens e minhas emoções. Como disse anteriormente, se eles tivessem sido um pouco mais aprofundados, eu teria uma maior noção deles. Mas posso afirmar que Anna, mesmo com seu luto e sem entender muita coisa do que estava acontecendo, foi uma das personagens que eu mais gostei. Passei longe de Loreta e sua impulsividade, de Erick e Marcos, embora o primeiro me despertou sentimentos desconhecidos, rs. Acho que meu favorito mesmo seria Raziel. Primeiro porque ele sobreviveu à muita coisa. Segundo pela linguagem utilizada por ele, enaltecendo sempre a beleza da mulher. Nada como alguém alimentando nosso ego, não é mesmo? HAHAHAHA.

A diagramação interna é relativamente simples, seguindo o padrão da editora. O papel é aquele utilizado na maioria das publicações. E confesso que estou, aos poucos, me acostumando ao seu toque. A capa é bem bonita, mas nos traz um mega spoiler de seu conteúdo. Não sei se isso é proposital, mas como não há informações na sinopse, creio que poderia ter sido vetada, deixando ao leitor adivinhar o que há de tão sobrenatural assim na trama.

Encontrei alguns erros de revisão, principalmente nos diálogos. Como eu leio com muita rapidez, algumas vezes precisei retornar ao texto para entender o que estava acontecendo. Acho que deixar os parágrafos mais bem definidos ajudaria as pessoas que são assim como eu.

Enfim, devo ter deixado passar algumas informações, mas depois de alguns dias que eu leio, as coisas somem da cabeça como num passe de mágica, hahaha.


A leitura não foi comigo, mas quem sabe com você ela não engata de primeira e vai assim até o final? ;)

Um comentário

  1. Sua resenha está muito mais leve do que eu imaginei que seria. Super bem explicadinha e até um pouco fofa, rsrs.
    Não pretendo ler por enquanto. Mas sim, vou ler logo mais.

    Bjksssssssss

    ResponderExcluir