[Resenha] Alma Vampira

05 março 2016


Alma Vampira
Autora: Ju Lund
Editora: Avec
Número de Páginas: 200
Onde pode adquiri-lo:  Livraria Cultura | Amazon


Sinopse: Duda enfrenta novos desafios, sem memórias vive uma rotina nova ao lado da família, dos semeadores e de um possível novo amor. Esther não suporta a realidade e, num ato extremo, transforma a vida de Duda para sempre deixando sua alma ainda mais perdida. Duda, confusa, perambula entre dois mundos até que se sente obrigada a tomar uma grande decisão para seu futuro. Por amor vale tudo e até onde podemos ir em seu nome?
Sinopse me poupando trabalho novamente \o/. E depois de muito tempo, cá estou eu.

Alma Vampira é a continuação de Doce Vampira (resenha), a qual estava bastante ansiosa pela leitura. Ao iniciá-la, me prendi logo de cara e uma coisa que me deixou extremamente contente é ver que a história começa bem onde ela terminou no livro anterior, sem rodeios.

Ju Lund escreve muito bem, não deixa a história ficar maçante, não se perde no meio dela. Com certeza é uma autora nacional que merece reconhecimento.

A criatividade em volta do livro foi o que mais me chamou atenção. Mas isso já falo desde Doce Vampira. Por mais que vampiros sejam clichês, ambos os livros são do gênero queer chick, um romance homossexual, e é isso me chama atenção.

Não é um romance hot, é simplesmente o mais puro sentimento, chega ao ponto de se tornar possessivo, coisa que aumentou de um livro para o outro.

Em Alma Vampira fica claro o amadurecimento da autora, assim como a mudança das personagens, algo que para mim foi bastante positivo - apesar de que mesmo assim continuei achando Duda descabeçada e infantil, rs. Só que algo me disse que isso muda um pouco no final do livro. Pelo livro focar em Duda e Esther, senti falta dos outros personagens, mas nada que atrapalhou ou diminuiu o meu sentimento.

Quando eu achei que tudo entre Duda e Esther estaria resolvido, a história nos leva para outro lado e, pelo que entendi, terei que esperar pela continuação. Obrigada autores por nos matarem a cada final.

É um livro que recomendo sem sombra de duvidas.

Nenhum comentário

Postar um comentário