[Resenha] O Ceifador

21 julho 2017

O Ceifador
Scythe Vol. 1
Autor: Neal Shusterman
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 448
Onde comprá-lo: Amazon
Sinopse: A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador – um papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receber o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a “arte” da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão – ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais –, podem colocar a própria vida em risco.


Primeiro mandamento: matarás

Vivemos depois do ano de 2040, quando tudo aconteceu: a sociedade venceu a morte e parou de contar quantos anos tinham, pois a partir daí poderiam ser feitas algumas manobras para diminuir sua aparência. Como a morte foi vencida, a população crescia desenfreadamente. E aí é que surgem os Ceifadores. Seres humanos que são treinados para coletar a vida dos que julgarem ser necessários.

Usam a palavra coletar pois toda a vida da pessoa vai para a Nimbo-Cúmulo, como se fosse a famosa ‘nuvem’, só que com memória infinita. Assim ela nunca seria esquecida. Além disso, os Ceifadores nunca usam a cor preta em seus mantos, ao contrário do que conhecemos sobre a morte, cuja cor principal é justamente esta.

Tá ok. Até aí tudo bem. O problema começa quando Citra Terranova recebe o Honorável Ceifador Faraday. Sabendo que ele estava ali para “provavelmente” coletar a vida de algum dos seus parentes (ou até dela mesma), a jovem mocinha já vai metendo a boca no bedelho e pede que ele o faça logo, ao invés de enrolar, querendo jantar, comer sobremesa, dentre outras coisas. Sempre bocuda e de mau humor (olha eu aqui gente, rs), ela acaba sendo desestabilizada ao ser informada que ele não estava ali para matar ninguém, e sim esperava a vizinha da família deles, e como humano, ele também tinha necessidades fisiológicas, como conversar, comer. Aliás, como a mãe de Citra fora extremamente respeitosa e acolhedora, concedera um ano de imunidade.

No capítulo a seguir, somos apresentados a Rowan Damisch. Ele tem 16 anos e seu melhor amigo, Tyger Salazar, havia se suicidado. De novo. Mas como isso não é mais possível (se lembram do que falei? Ninguém mais morre a não ser pelas mãos dos ceifadores!), depois de quatro dias o jovem fora revivificado. A primeira revivificação era gratuita. As demais ficavam por conta das famílias, que eram obrigadas a pagar. Considerados como “filhos alface” (aqueles que a família não tá nem aí para o que fazem, só lembram que existem porque infelizmente não tem como esquecer), Tyger faz questão de realizar essas façanhas sempre que consegue. Rowan acha tudo isso uma perda de tempo.



E um belo dia, ao chegar à escola, se depara com um Ceifador. Ele está procurando a Secretaria Geral e, como Rowan chegara atrasado (culpa da família gigantesca), ele foi incumbido de levá-lo até lá. Era óbvio que ele coletaria alguém dali. Mas quem? O escolhido era um conhecido. Ele, obviamente, quis participar, observando e demonstrando uma piedade nunca antes vista. O Ceifador gostou da atitude dele e disse que ele seria um bom profissional no futuro. A primeira ideia que passou diante de sua cabeça foi a repulsa. Mas isso tudo vai mudar.

A vida dos dois se uniu. Ambos foram convidados para assistir a um concerto musical. Adivinhem quem foi que os chamou? Isso mesmo: o Honorável Ceifador Faraday. Tudo isso para dizer que ele havia escolhido os dois para serem aprendizes do ofício, algo inédito até então. Cada Ceifador deveria treinar um aprendiz. Mas logo dois? Embora tudo isso acontecesse, apenas um deles receberia o anel e se tornaria um profissional.

E é assim que se encerra a primeira parte (de um total de cinco) do livro, onde conhecemos a história dos Ceifadores, como trabalham e sobre os dois escolhidos e sua primeira lição.

Quando a gente acha que este será o ápice da história, vemos que por causa de um jogo de interesses, Faraday resolve colocar um ponto final em sua vida. O sétimo mandamento do Ceifador (assim como na Bíblia). Aí tudo muda. Novamente. E a partir de agora os dois serão inimigos. Mas será que o sentimento que ambos estão nutrindo não ficará acima de tudo e todos?




Eu só posso dizer que estou chocada com a leitura de O Ceifador. Para quem convive comigo, sabe que eu perturbei todo mundo falando dele, por causa desse autor maravilhoso que me apresentou a um novo mundo de distopias com Fragmentados, publicado pela Novo Conceito, e cuja continuação estou doidinha para adquirir. Neal Shusterman já havia me surpreendido naquela outra obra, mas nesta ele finalmente mostrou que veio para ficar. Já achava que tinha visto de tudo, mas minha boca foi calada ao terminar as pouco mais de 400 páginas deste pequeno grande tijolo de um mundo pós-modernidade.

O narrador é observador, então temos uma visão geral de tudo e todos, o que faz com que a leitura seja fluída e não tenhamos nenhum tipo de influência externa por parte de algum dos personagens (mesmo porque quem já leu até sabe quem gostaria de fazer a cabeça dos outros, não é mesmo?). 

Além disso, antes de se iniciar um novo capítulo, temos alguns trechos dos diários dos Ceifadores. Os mais frequentes são os da Ceifadora Curie, conhecida como A Grande Dama da Morte. Aliás, este é um fato interessante. Além de adotarem outros nomes após receber o anel e o título de Ceifador, cada um recebe seu diário, onde anotam não somente os atos que cometem ao ceifar as vidas dos outros, mas também seus sentimentos. E é claro que nossos aprendizes também o recebem. Alguns trechos são mostrados durante a narrativa e nos deixam com mais vontade ainda de decifrar tudo o que está acontecendo.

Eu não sei vocês, gente, mas eu queria largar o livro quando Faraday morreu. De verdade. Eu tinha odiado ele de cara, mas com o passar da leitura eu passei a admirá-lo. É claro que seu ato foi nobre, mas de cara a gente sabe que vai dar ruim, haha.




A capa é uma beleza a parte e transmite bem o que o livro vai nos contar. A diagramação interna é simples, conforme a maior parte das publicações da Editora. Fonte ótima para leitura. Tudo para nos proporcionar mais prazer na apreciação da obra!

Resumindo. Se você quer uma distopia diferente de tudo o que já viu na face da Terra, aposte em O Ceifador. Você com certeza não vai se arrepender de dar uma chance à leitura fluída que a escrita de Neal Shusteman é capaz de passar em seus livros. E aguardo ansiosamente pelo segundo volume, que está previsto para ser lançado lá fora em seis de março de 2018.


29 comentários

  1. Sua resenha me deixou ainda mais animada para ler esse livro.
    Fiquei pra lá de curiosa para saber tudo sobre os dois adolescentes escolhidos e o desfecho da história dos dois!
    A premissa do livro é super interessante e o enredo parece ser incrível mesmo.
    Uma história completa, com personagens bem desenvolvidos e a trama em si bem construída também.
    Gosto bastante do gênero e espero conferir em breve essa obra.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Estou muito curiosa com esse livro. Já tinha visto essa capa, mas até agora não sabia nada sobre ele. Esse enredo é tão criativo, faz a gente refletir e questionar sobre tanta coisa. Com certeza vou dar uma chance de leitura a ele.

    ResponderExcluir
  3. Essa ideia da trama parece ser muito legal e com certeza me chamou atenção. O mundo, a construção dele e o clima da história são um tanto chocantes e ao mesmo tempo inteligente e instigante. Dá curiosidade.
    E é legal poder ter essa visão de tudo na história, sem uma influência de um personagem só e podendo tirar nossas próprias conclusões e coisas assim. Tem muita coisa boa nessa trama. Bom pra fazer pensar e por ver todas as injustiças e coisas erradas que tem nesse mundo "perfeito".
    Achei bacana o jeito dele também por ter esses trechinhos dos Ceifadores no meio. Ver esses diários deve dar um clima legal na história, um pouco mais de informações.
    A trama parece ser do tipo que a gente devora e quer mais. Já fico até com um certo medo de pegar agora e não ter outros livros pra ler. Esse parece que precisa de uma continuação pra ontem! Tomara que lancem mais e bem rápido né ^^
    Quero ler também.

    ResponderExcluir
  4. Hey *-*
    Aí meu coração ! 😍
    Faz tempo que quero esse livro e todo fica falando dele e eu aqui .. kkkk
    Adoro livros distópicos e esse parecr ser diferente de todos que já li !!

    Adorei o enredo e a ideia do autor para criar os ceifadores que são os únicos que podem tirar a vida de alguém !! Preciso desse livro pra ontem !!!


    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Oiii Pamela tudo bem?
    Fiquei extremamente encantada pelo assunto do livro, é algo que sempre procuro para ler pois sei que irá me agradar, quero ler e descobrir se terão mesmo coragem de matar os outros e quando será o fim, afinal deve ser uma leitura de tirar o fôlego.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Estou super curiosa para ler esse livro!!
    Adoro distopias, mas sinto que muitas delas acabam caindo na mesmice. Muito bom saber que esse é inovador, quero muito ler. E a capa é maravilhosa <3
    Ótima resenha, beijos!
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto esse livro por aí. A sinopse me deixou bastante curiosa, quero ler assim que possível! Sua resenha, e clara empolgação com a obra, me deixaram realmente interessada! Obrigada pela dica!

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Apesar de todo o hype, não é o tipo de leitura que procuro. Todos falam super bem do autor, mas ainda não me convenceu sua premissa dessa obra.

    ResponderExcluir
  9. Acho a história desse livro bem diferente, fiquei com muita vontade de ler.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  10. Oie,
    Eu já queria conhecer a escrita do autor desde "Fragmentados", mas até hoje não tive a oportunidade. Sei que ele divide opiniões então isso me desanima um pouco. Quanto a O Ceifador até hoje só ouço elogios e sou doida para conhecer, já que realmente me parece um distopia diferente das demais.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Estou com esse livro no meu Kindle e não vejo a hora de conseguir pegar pra leitura. A cada resenha que leio fico mais curiosa sobre como o autor desenvolveu toda trama.
    Certamente vou amar esse jogo todo envolvente e bem misterioso.
    Dica anotada!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  12. Olá tudo bem?
    Já tinha visto esse livro por aí e vou te confessar que acredito que não seria muito o meu gênero literário mas estou em busca de novas aventuras e esse parece ser um livro maravilhoso irei anotar a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Esse livro já tá separado pra leitura lá na minha pilha de livros para ler e a tua resenha só me deixou com mais vontade de lê-lo. Adoro distopias e acho que vou gostar bastante dessa.

    ;*

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Quando esse livro saiu lá fora vi alguns comentários bons, mas não tinha despertado tanto meu interesse. Essa é a primeira resenha que realmente leio e estou encantada e doida para fazer essa leitura.
    Achei o enredo maravilhoso e bem diferente do que vejo por aí.
    Com certeza coloque esse livro na minha lista de desejados.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Bocuda e mau humorada? Me identifiquei hahahha!
    Achei o enredo da história interessante e adoro essa capa! Só não sei se conseguirei ler ele tão cedo :/
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bem??? Eu não costumo ler muitas distopias e nem conhecia esse livro mas a premissa e a capa me chamou muito a atenção 😍 adoro histórias que envolvem ceifadores ( e são poucas)e achei a forma como foi abordado bem original. Gostei muito da tua resenha e assimque eu tiver um tempinho (nem tão cedo de acordo com a minha whishlist) vou ler com certeza! Bjossss

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  17. Olá! Estou louca para ler esse livro, gosto bastante de distopia e essa tem uma premissa bem interessante. O que achei legal foi ser sobre ceifadores, nunca li nada com esse elemento. Parabéns pela resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  18. Oie! Tudo bem?

    Estou contando os minutos para a feira do livro daqui da minha cidade, porque com certeza irei comprar esse! Já li tanta coisa positiva que não vejo a hora de poder pegar essa obra nas mãos e conhecer mais de perto essa história que está me fascinando cada vez mais!

    BJss

    ResponderExcluir
  19. Oie...
    Vontade é o que não falta pra mim realizar essa leitura! A cada resenha que leio minha vontade triplica!!!
    Adorei os pontos que você apresentou na resenha e, é claro, pretendo realizar essa leitura em breve ;)
    Dica anotada...
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Esse livro tem uma história maravilhosa e super interessante. Quando li varias resenhas sobre ele fiquei me perguntando se seria assim o nosso mundo mas é provável que difícil. A trama é super legal, a história de ceifador e um trabalhos bem ruim é diferente mas tem aquela forma de querer resmungue a população do mundo é bem legal isso. Tem uma imensa vontade de ler.

    ResponderExcluir
  21. Estava com um certo receio de ler esse livro por causa dessa coisa de ceifar a vida de alguém, mas depois de tantas resenhas positivas (como a sua), estou ficando bem curiosa para ler esse livro, parece ser uma distopia super interessante, daquelas que não queremos largar até chegar ao final.

    ResponderExcluir
  22. Hey, tudo bem?
    Estou LOUCA para ler esse livro. Ninguém que leu fala mal dele e acho isso massa. O autor parece ter dosado tudo na medida certa, não é? Essa parte da morte dessa personagem é spoiler? Pois fiquei assustada por ter lido e com medinho :(
    Espero, ademais, gostar como você gostou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Eu li uma resenha desse livro recentemente e confesso que ela me deixou curiosíssima. Achei que o livro teria algo bastante aterrorizante, mas ele parece ser muito bom. Já tô doida pra ler, sua resenha me deixou ainda mais curiosa :) Bjs

    ResponderExcluir
  24. Olá! Muito boa sua resenha. Eu fiquei curiosa pela leitura. Já vi alguns comentários positivos, mas ainda não tive oportunidade. Vale a pena a indicação, bjooooooo

    ResponderExcluir
  25. Acho que este é o livro queridinho do momento pois só tenho lido e ouvido criticas positivas sobre ele e claro, a cada resenha lida eu fico mais curiosa para conhecer este enredo também. Espero poder ler o mais rápido possível.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Olá.
    Adorei o enredo de O Ceifador. É realmente bem diferente do que há por aí.
    Ainda não li nada do autor, mas fiquei contente em saber que sua escrita é bem fluida e que ele escreveu Fragmentado, outro livro que também tenho interesse em ler.
    Achei a capa lindíssima!
    Já vou colocar na minha lista de desejados.
    Bjs

    ResponderExcluir
  27. O que me chamou atenção neste livro foi mostrar que até mesmo os ceifadores conseguem fazer mau uso do poder que tem. Impressionante e triste e ver este alerta sobre como a corrupção anda solta.
    Bjs

    ResponderExcluir
  28. Eu gosto muito de distopias, e sem dúvidas esta é bem diferente, sempre leio comentários positivos referentes a este livro, e ler sua resenha me deixou bem curiosa para conferir esta história.

    ResponderExcluir
  29. Olá!
    Eu já estava morrendo de vontade de ler esse livro, daí leio uma resenha maravilhosa dessas? Meu coração não aguenta haha.
    Distopias não são o meu forte, mas esse livro em especial me deixou com sede de leitura, talvez por ele aparentar ser diferente de tudo que já li. ]

    Adorei o post e o blog.
    Beijão!
    https://bloggmundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir