[Resenha] Entre irmãs


O ano é 1920. O cangaço atinge seu apogeu. Com ele, Carcará, um dos cangaceiros mais temidos do Nordeste. Ele e seu bando causam estragos por onde passam, principalmente porque assim como o pássaro, Carcará arranca os olhos de seus inimigos quando pegos.

Paralelamente a essa história, baseada no coronelismo, encontramos duas jovens... Os pais das duas faleceram quando elas ainda eram jovens, portanto viviam com Tia Sofia. Emília era sonhadora e rezava para encontrar o amor da sua vida e se mandar daquele lugar. Luzia, ao contrário da irmã, era aventureira e religiosa, e que tinha o braço torto depois de uma queda de uma árvore. 

E é quando Carcará chega à cidade em que as duas moram que tudo fica de pernas pro ar. Luzia tem sua vida virada do avesso ao ser contratada pelo cangaço como costureira. Emília realiza o sonho de se casar e se mudar, mas sempre pensa em como estará a irmã. E elas serão ligadas novamente, por algo inimaginável. 


Confesso a vocês que a história me interessou bastante, principalmente pelo fato de ter sido adaptada aos cinemas. Mas como a maioria que me acompanha aqui sabe, sou avessa a ler sinopses (mesmo o tendo feito neste caso), ver quantas páginas tem... Se me interessou, se eu gostei da capa, to solicitando, comprando ou pedindo de presente. E muito me admirou quando chegou este pequeno tijolinho em casa, porque é quase um livro do Harry Potter. A diferença é que por muitas vezes, durante a narrativa, me senti entediada, coisa que não acontecia com o livro que o comparei. Pelo contrário... Foi uma leitura extremamente densa para mim, fazendo com que a mesma se arrastasse por basicamente um mês... Até que finalmente coloquei um ponto final.

O excesso de descrições talvez tenha sido o que pesara mais para não curtir tanto assim a leitura. É claro que sem ela não entenderíamos o cenário, os lugares e a época que são narrados nele, mas tudo em demasia acaba se tornando tedioso.

Aí o que teve demais em todo o livro, faltou na hora de abordar as personagens... Ficou tudo tão superficial que praticamente não senti empatia alguma com elas. Realmente uma pena, pois seria um ponto que me deixaria totalmente presa à narrativa, por mais longa que ela tenha sido. Pretendo assistir ao filme para ver se tudo isso muda (o que eu espero muito que sim, rs).

A diagramação está simples, assim como é padrão da editora. A capa é a mesma que a do cartaz do filme, outro ponto que me deixa meio... sei lá. Preferia que a editora tivesse criado algo diferente, para não vincular somente à imagem de “livro do filme” quando a gente batesse os olhos na vitrine de uma livraria.

Em suma, é um livro denso, mas de fácil leitura. Estejam preparados para as mais diversas descrições e para um cenário de cunho político, histórico e social.


Entre irmãs
Autora: Frances de Pontes Peebles
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 576
Onde comprá-lo: Amazon



Sinopse: Ganhador do Prêmio de Ficção do Friends of American Writers e agora adaptado para o cinema, Entre irmãs é uma história de amor e lealdade, um romance arrebatador sobre a saga de uma família e de um país em transição. Nos anos 1920, as órfãs Emília e Luzia são as melhores costureiras de Pernambuco. Fora isso, não podiam ser mais diferentes. Morena e bonita, Emília é uma sonhadora que quer escapas da vida no interior e ter um casamento honrado. Já Luzia, depois de um acidente na infância que a deixou com o braço deformado, passou a ser tratada pelos vizinhos como uma mulher que não serve para se casar e, portanto, inútil. Um dia, chega a Taquaritinga um bando de cangaceiros liderados por Carcará, um home brutal que, como a ave da caatinga, arranca os olhos de suas presas. Impressionado com a franqueza e a inteligência de Luzia, ele a leva para ser a costureira de seu bando. Após perder a irmã, a pessoa mais importante de sua vida, Emília se casa e vai para o Recife. Ali, em meio à revolução que leva Getúlio Vargas ao poder, ela descobre que Luzia ainda está viva e é agora uma das líderes do bando de Carcará. Sem saber em que Luzia se transformou após tantos anos vagando por aquela terra escaldante e tão impiedosa quanto os cangaceiros, Emília precisa aprender algo que nunca lhe foi ensinado nas aulas de costura: como alinhavar o fio capaz de uni-las novamente. 

6 comentários

  1. Não conhecia essa obra e nem a adaptação! A resenha ficou ótima, mas confesso que a premissa não me atraiu tanto!
    Beijos :3

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o comercial dessa adaptação hoje e fiquei super interessada, as personagens tiveram uma atuação bastante forte e prenderam a minha atenção. Eu não fazia ideia que ele era fruto de um livro e fiquei curiosa a respeito. Uma pena que a leitura tenha sido arrastada.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Não sei se é um livro que eu leria no momento por conta desse excesso de descrições. É bem ruim quando acabamos não nos conectando aos personagens.
    Acho que esse é um dos poucos casos em que eu assistiria ao filme antes de ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Olha, eu tenho uma amiga youtuber e ela me falou que viu esse filme e leu o livro, e disse que é MARAVILHOSO! Eu fiquei louco pra ver logo de cara porque né, ainda mais que se trata de uma produção brasileira.
    Assim que eu tiver a oportunidade eu vou sim, ler e assistir a adaptação <3

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a obra até ver alguns comerciais divulgando a adaptação, mas ainda assim, não sabia que era adaptação de um livro. Fiquei curiosa e quero ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oiii.
    Estou bem curiosa com a minissérie, não sabia que tinha livro, para vc ver o quanto estou desinformada kkk. Mas com certeza já quero ler, talvez eu goste, pois adoro livros descritivos.

    ResponderExcluir