[Resenha] A luz que perdemos



Carter é nossa protagonista e narradora de sua história a partir do momento em que conheceu Gabriel Samson no dia 11 de setembro de 2011, na faculdade, durante a aula sobre Shakespeare do professor Kramer. Mesmo dia em que as Torres Gêmeas foram atingidas pelos aviões que, depois descobrimos serem comandados pelos terroristas. Mas no momento, só duas coisas importavam à Lucy: Shakespeare e Gabe.

Após o término da aula, estavam curiosos para saber o que realmente havia acontecido na cidade, então partiram para o alojamento dele e de seus amigos. Mas somente pela TV não tinham proporções reais do que ocorrera. Então a cobertura do prédio Wien Hall era a melhor solução para isso.

E é observando a cena de destruição que Lucy e Gabe se beijam pela primeira vez. Mas no mesmo dia ele volta para a ex-namorada. O irmão dela estava desaparecido desde a queda das torres e ele precisava ser o consolo para seu coração.

Lucy havia sido como luz em um dia tão tenebroso. Mas apenas isso.

Um ano depois deste grande encontro eles finalmente conseguem ficar juntos por longos quatorze meses, terminando apenas o relacionamento porque Gabe queria seguir seu coração e ser alguém diferente do pai, levar uma vida que julgava ser a melhor, e menos medíocre como seu progenitor. Queria investir na carreira de fotógrafo. E foi fazer isso no Iraque. Uma pena que Lucy não estava incluída em seus sonhos.

Então a jovem decide recomeçar sua vida. Acaba trabalhando mais, sendo promovida, e encontra um homem que poderia lhe dar o que ela sempre havia desejado. Darren é perfeito para ela. Por ser mais velho, a estabilidade do relacionamento era o que mais a atraia a ele, além do bom humor e do fato de que ele realmente estava indo com calma, principalmente depois de tudo o que ela vivera.

Mas a vida é surpreendente e o caminho de Lucy e Gabe não acabou ainda. Temos vários encontros, desencontros, ligações desesperadas, coração apertado e angústia rondando os dois. Mas será que as coisas teriam sido diferentes caso eles tivessem tomado as decisões de outra forma?


 Você faz com que eu me sinta invencível – sussurrou.




Eu passei um bom tempo do mês sem conseguir engatar uma leitura realmente prazerosa, achava até que estava com uma baita ressaca literária, principalmente devido o cansaço após chegar do trabalho dia após dia. Mas foi só pegar em mãos A luz que perdemos que percebi estar totalmente enganada. A ressaca veio após terminar de lê-lo.

Este é o primeiro livro de Jill que tenho contato, mesmo sabendo da existência de outros tantos escritos por ela (e que espero que sejam publicados aqui no Brasil também). É também o primeiro que ela escreve totalmente voltado para o público adulto, mas tenho certeza de que se algum(a) adolescente pegar para lê-lo, vai acabar se emocionando tanto quanto eu. A escrita dela é tão perfeita e cativante que não tem como nos identificarmos com os personagens aqui descritos. Aliás, nada nos é dado de bandeja. Ela os constrói aos poucos, conforme a narrativa avança. E pouco sabemos de fato sobre o passado deles. No caso, mais de Gabe do que de Lucy. E é por isso que ficamos com um pé atrás diante de tantas atitudes que julgamos erradas ou até mesmo infantis por parte de uma mulher. Além disso, não tem como não nos emocionarmos diante de tantos acontecimentos, de tantos encontros e desencontros, produtos de nossos atos ou do próprio destino.

Os capítulos curtos e a narrativa em primeira pessoa, partindo de acontecimentos do passado e contados para uma terceira pessoa, que no caso é o próprio Gabe, temos uma certa noção do que está acontecendo. Uma vaga noção, eu diria, pois ao chegar ao ápice da história é que realmente tudo cai por terra e caímos na real do quão profundo é o enredo criado pela Jill. É surpreendente, de cair o queixo e milhares de lágrimas. A revisão e trabalho gráfico estão dignos de um Best-seller, o que acho que, se já não o é, se tornará depois de todo mundo dar uma chance a ele. A capa é perfeitamente simples, mas que mostra ao mesmo tempo o plano de fundo da história, que é Nova York, além do casal.

E tenha certeza absoluta: você se emocionará como nunca ao terminar sua leitura. Não tem como ser diferente.


A luz que perdemos
Autora: Jill Santopolo
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 272
Onde comprá-lo: Amazon



Sinopse: Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo. Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York. Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distancia, eles jamais deixam o coração um do outro. Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados? A luz que perdemos é um romance impactante sobre o poder do primeiro amor. Uma ode comovente aos sacrifícios que fazemos em nome dos nossos sonhos e uma reflexão sobre os extremos que perseguimos em nome do amor.



12 comentários

  1. Oi! Que bom que você gostou da leitura! Espero que a leitura deste livro não seja uma daquelas que me fazem chorar e soluçar, pois eu sou bem molenga. Gostei de como foi abordado o amor, em como podemos encontrar, mas perder, em todas as escolhas e consequências. Gostei muito da dica e espero ler em breve, como também ver a adaptação.


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  2. Quero tanto conferir a dramática história de amor entre Lucy e Gabe, não tenho dúvidas de que é um livro emocionante.
    Não conheço a escrita da autora, mas saber que é perfeita já me deixa mais animada para ler esse livro, que tem me chamado atenção. Adorei sua resenha, reforçou bastante minha vontade de ler a obra.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu estou desesperada por esse livro já! Quero demais. Ainda não consigo comprá-lo, mas espero conseguir em breve, se Deus quiser!

    Sei que é o tipo de história que vai me emocionar demais. Que vou me deixar envolver pelos personagens, suas vidas, suas escolhas... E a capa é sensacional!

    ResponderExcluir
  4. Olá!Eu ainda não li nenhum livro dessa autora e até essa resenha eu passaria por esse livro sem ter ideia do que se trata. Parece uma história cheia de altos e baixos. À primeira vista, não gostei do Gabe, mas quero ler para ver se mudo de ideia.
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bom?
    No começo da resenha está 2011, fiquei um pouco confusa achando que era tipo um memorial sobre as torres, só então entendi que foi no dia MESMO. Inclusive, que teeenso. Nunca li nada que se passasse no dia assim, fiquei curiosa e quero muito conferir!

    ResponderExcluir
  6. Que livro!!!
    Terminei de ler semana passada e fiquei muito comovida com o final, embora no decorrer da narrativa a gente imagine o que tenha acontecido. Achei o Gabe muito egoísta, em contrapartida, adorava a Lucy e sua força. É um livor que guardarei no coração por muito tempo.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, ficou maravilhosa a sua resenha, deu até vontade de me arriscar a ler A luz que perdemos, apesar de eu achar que o livro talvez seja dramático demais para mim e ficar com medo de uma ressaca literária.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Que bom que essa leitura te agradou. Eu já tive a oportunidade de fazê-la, mas não me encantei assim com os personagens, não me senti conectada a eles, sabe? Mas, eu tenho que dizer que a narrativa da autora é maravilhosa e que tenho muita vontade de ler outros livros dela. Sobre a emoção, preciso confessar que não aconteceu comigo, mas acho que fui a única rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Eu queria um spoiler do final, só para saber se eu leio o livro ou não kkkk
    Mesmo com essa minha curiosidade de saber o final da história antes de iniciar a leitura, achei bem interessante a trama, e acredito que vou me emocionar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Esse livro é lindo. O pano de fundo é emocionante, fiquei com dó do marido da Lucy e não estava preparada para aquele final. Mas me agradou bastante o resultado.
    É um romance que tem boas reflexões sobre momentos da vida.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    Eu teria que ler o livro, mas já não gostei da atitude dele de deixá-la para trás. É perfeitamente possível conciliar o sonho de uma carreira com um relacionamento. Mas, claro, eu teria que ler para realmente formar opinião.
    Gostei muito da resenha e dos pontos que ressaltou e já fiquei curiosa para saber se ficaram juntos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Eu amei esse livro! Ele me lembra muito a minha história, tirando o final, por isso fiquei tão tocada. Jill arrasou e agora estou esperando o filme ansiosamente, espero que façam uma boa adaptação!

    Beijos

    ResponderExcluir