Resenha: A Ira de Nasi, por Mauro Beting. #115

21 setembro 2012


A Ira de Nasi
Autores: Mauro Beting e Alexandre Petillo
Editora: Belas Letras
Nota: 
Compare preços no Buscapé

Sinopse: Nasi não nasceu para ser santo. Nasceu para ser a voz de um pecado capital. Quando foi fundo ele acabou indo além do permitido e recomendado. E, na volta, trouxe com ele tudo que o dragou – do melhor e do pior. Nas travessias ao céu e nas travessuras abaixo do inferno das drogas químicas e das porcarias das pessoas físicas e jurídicas que experimentou, o ex-vocalista do Ira! se tornou homem com todas as letras. Desde as bem feitas e de boa métrica até as malfaladas e malditas. Você ficará vermelho de raiva e de paixão com a história de um dos roqueiros mais polêmicos do Brasil, com tantas tretas que fizeram da vida de Marcos Valadão, este Wolverine brasileiro contraditório e solitário, coisa de ficção, de horror, de comédia e de drama, mas também de muito amor.

Resenha


Mauro Beting e Alexandre Petillo constroem através das páginas de A Ira de Nasi não somente uma biografia de um dos ícones mais famosos da cena underground, como também traça um paralelo histórico do mundo do rock.
Sou amante do estilo musical, mas nunca fui muito fã exatamente da banda. Ao começar a leitura, pude perceber a riqueza de detalhes que os autores trazem. Desde o início da vida de Marcos. De Nazi. De Nasi. Do menino do Bexiga.

“Ao lado, dupla de ataque, um parceiro de vida e vocal único. Nasi é o dono da voz capaz de segurar o impacto das melodias e letras de Edgard. O predador Valadão. O bluesman brasuca que mudou seu alcance para se adequar ao formato – mais suave, porém mais sentido, doído, penetrante.” [capítulo 2 – página 20]

Além disso, informações importantes sobre como os integrantes da banda se conheceram, algumas características dos mesmos. Detalhes de como e porque ela teve um fim também são importantes. São esclarecidos fatos e momentos de sua vida que antes não haviam nem sequer sido revelados.
A fé é algo importantíssimo na vida de Nasi. E ele não frequentou somente uma religião, se identificando com diversas outras.

Nasi: Todas as dificuldades que nós passamos criaram na gente uma coisa que se chama fé.” [capítulo 2 – página 22]

A diagramação realizada pela editora está de parabéns. Além de fontes e tamanhos ótimos para a leitura, o livro contém no centro diversas fotos do cantor em diferentes momentos de sua vida. Infelizmente não consegui ir no dia do lançamento e garantir meu autógrafo, mas creio que oportunidade não faltarão pois o livro já é um sucesso!


Um comentário

  1. Oiee
    Ah estou com o livro aqui, ele provavelmente será minha próxima leitura.
    Posso dizer que não sou fã desse estilo, mas gostava dessa Banda.
    Adorei a resenha.
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir