Resenha: Brincos de Ouro e Sentimentos Pingentes. #120

07 novembro 2012


Brincos de Ouro e Sentimentos Pingentes
Autor: Luiz Antonio Aguiar
Editora: Biruta
Nota: 

Sinopse: “Brincos de ouro e sentimentos pingentes” é um livro que revela que o final feliz de uma história de amor é deixar naturalmente o amor acontecer. Afinal de contas, para Manuela ‘é na dor’ que ela parece confessar como o próprio corpo nos seus poemas que tornam essa história de amor mais amorosa ainda.

Através de um vai – e - vem na trama e nos capítulos, é narrada por Mariana sua história de amor, desde o ponto atual de sua idade (16 anos) nos remetendo até o início da adolescência e o abandono da infância, marcado pelo primeiro amor de sua vida – e até então o único que conseguiu arrebatar e avassalar com seu pobre coração juvenil.

“Então, bateram na porta do meu quarto.
Era o Pedro Cláudio.
Eu nunca o tinha visto.
E, na hora em que o vi, devo ter ficado com uma tremenda cara de babaca.
Ele era lindo.
É lindo.” [pg. 18]

Ela, com onze anos, ele, com dezenove, começam uma amizade de poucas palavras, mas com muitos olhares e muito bater de corações. O desenrolar do tema se dá de maneira suave e com linguagem própria dos jovens. Mariana se vê dialogando consigo mesma e expressa seus sentimentos através de poemas, escritos em sua maioria entre os catorze e quinze anos.

“Vou rasgar você de mim.

                 (não, não vou fazer outro poema sem fundo: chega!)” [pg. 86]

A diagramação elaborada pela editora Biruta é perfeita e nunca tinha tido a oportunidade de poder ter contato com um livro da editora. Fiquei encantada e descobri, depois, que tenho um outro título da mesma, um pouco mais antigo e não tão belo assim. Com relação ao autor, ele conseguiu atingir o objetivo de transcrever em linguagem própria de uma adolescente os tropeços que a vida dá com relação aos amores.

Sobre o autor: Nascido carioca, aquariano e rubro-negro em 11/02/55.
Profissão: Escritor. 

Acesse para mais informações:  http://www.luizantonioaguiar.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário