Resenha: O Inimigo Final, por André Bozzetto Jr. #127

11 dezembro 2012


O Inimigo Final
Autor: André Bozzetto Jr.
Editora: Estronho

Sinopse: Um fracassado músico de rock que precisa reencontrar o filho com quem mantém uma relação conturbada e ao mesmo tempo confrontar indesejáveis visitantes que ameaçam trazer à tona antigos e obscuros segredos. Um jovem solitário que mantém aspirações poéticas e vive mergulhado na paranoia urbana de uma grande metrópole e que, após uma sucessão de acontecimentos insólitos, decide voltar à sua pequena cidade natal para acertar as contas com um passado traumático. Um homem devastado pelo fim de um tórrido e polêmico caso amoroso que, em busca de uma forma para aplacar seu sofrimento, acaba se deparando com um fato inusitado que o leva a refletir sobre a condição humana e os rumos de sua própria vida. Três personagens cujas trajetórias se entrecruzam de forma tão sutil quanto determinante em uma história ambientada em redutos noturnos de boemia e truculência e perpassada por temas sombrios como o ódio e a vingança, mas também redentores como a amizade e o perdão. Puxe uma cadeira, peça uma cerveja, curta a trilha sonora calcada no bom e velho rock and roll e descubra quem é o Inimigo Final. 



                Nesta nova obra do autor André, o livro se divide em três histórias: a do personagem que é músico, do que é poeta e do filósofo. Diferente de Jarbas (confira resenha aqui!), em que a história do lobisomem mais temido foi descrita com muita perfeição e sangue, cujo foco era a história sobrenatural, o autor agora trata do fantástico mundo humano, com seus defeitos, suas tristezas, suas falhas.
                O ambiente urbano é o pano de fundo de cada história, e todos os personagens trazem consigo uma característica em comum: agonia. Todos os personagens passam por angústias internas e acabam externando-as.
                Na primeira parte, intitulada de Prólogo, é contada a história do músico, em terceira pessoa. Os capítulos são soltos, e em cada um deles é contado um trecho da história dos personagens ali inseridos.
                Já na segunda e terceira, intituladas respectivamente por Parte Final e Epílogo, a história do poeta e do filosofo são narradas em primeira pessoa, sendo o epílogo escrito como se fosse um monólogo.
                Utilizando a narrativa de três maneiras diferentes podemos observar o quão eficiente é o autor durante o processo de escrita do livro, trazendo de formas distintas as angústias dos personagens.
                Amores polêmicos, fracassos musicais, poesias de quinta são os temas que rodeiam as narrativas aqui descritas.
                Com certeza aqui está um escritor mais maduro. Parabéns, como sempre! E obrigada pela oportunidade de ter mais um belo livro nacional em minha estante.
                Ah, caso você tenha gostado, ele está na promoção de 1 ano do blog. Só participar e torcer. Aproveite que só tem mais 4 dias para você concorrer!!! 

3 comentários

  1. Amei a capa!
    Gosto desse estilo de livro!
    Beijos
    Rízia - Livroterapias
    livroterapias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oie!!
    Gostei da resenha e já participando da promoção, apesar de que meu desejo maior é ler Jarbas, pela estória e pela capa que acho linda!! Mas sempre é bom conhecer muitas obras de um autor =D
    Bjosss

    ResponderExcluir
  3. Gostei da capa, os olhos nela fazem a gente sentir uma anciedade em saber mais da história.
    Gostei da resenha, muito boa. Não conhecia a história nem o livro mais me despertou bastante interesse.
    Bjos...

    ResponderExcluir