[Resenha] Bruxos e Bruxas - James Patterson

13 agosto 2013

Bruxos e Bruxas
1º livro da série
Autores: James Patterson e Gabrielle Charbonnet
Número de Páginas: 288
duas_estrelas.png (145×27)

Sinopse: É como entrar em um pesadelo. Do nada, você é retirado de sua casa, preso e acusado de bruxaria. Parece século 17, mas é o governo da Nova Ordem, e está acontecendo agora! Sob a ideologia da Nova Ordem, O Único Que É O Único mantém seu poder à força, sem música, nem internet, nem livros, arte ou beleza. E ter menos de 18 anos já é motivo suficiente para que você seja suspeito de conspiração. Os irmãos Allgood estão encarcerados nesse pesadelo e, para escapar desse mundo de opressão e medo, terão que contar um com o outro e aprender a usar a magia. Do autor Best-seller James Patterson, Bruxos e Bruxas é uma saga para se ler ... antes que seja tarde.

Uma proposta interessante que infelizmente não conquistou boa parte dos leitores. No meu caso, não foi diferente. Antes de iniciar a leitura, logo tratei de ver o que a maioria dos blogs parceiros da editora Novo Conceito estava achando do livro, já que a jogada de marketing da mesma foi sensacional. Simulações de invasão nas redes sociais, cartas enviadas para os parceiros, sem ao menos o endereço de remetente. Foi realmente uma tacada de mestre.

Este é o quarto livro do autor com quem pude ter contato. O primeiro foi o romance policial 4 de julho, que não me agradou nem um pouco pelo fato de não estar intrinsecamente ligada ao gênero. Já como segunda opção, li O Diário de Suzana para Nicolas, um romance água com açúcar a la Nicholas Sparks.

A leitura mais bem sucedida ocorreu em Escola: Os piores anos da minha vida, com uma história leve e bem humorada, voltada para o público infanto-juvenil. Diários de um banana, Como treinar seu dragão são equivalentes à obra, de tão magnífica. E eu finalmente pensei que havia acertado pela primeira vez em algo ligado a James Patterson.

Até que veio Bruxos e Bruxas. Como dito lá no início, a proposta e divulgação aguçaram a todos, mas o maior erro foi o conteúdo. Voltado para um público entre juvenil e adulto. O livro passeia pelos gêneros da literatura fantástica e da distopia. Os irmãos Wisteria e Whitford Allgood são acordados de madrugada com sons de helicópteros e batidas na porta da casa em que viviam com seus pais. O pelotão de soldados apaziguadores estava lá, e não estavam para proteger sua família.

O motivo pelo qual se encontravam ali era para levar os dois irmãos para o presídio. Mas o que os dois haviam feito? Eles não eram adolescentes perfeitos, mas nunca tinham ido contra as regras da Nova Ordem. A acusação de serem bruxos fez com que o mundo dos dois desabasse e a estrutura familiar foi por água abaixo. Os dois foram levados, como animais irracionais, conduzidos à base de pontapés para o carro que os levaria até a prisão.

E é a partir daí que os dois finalmente entendem o porque os objetos que os pais lhes deram fazia parte do mundo mágico em que entrariam. Uma baqueta e um caderno em banco. As armas de um bruxo.

Os capítulos são escritos pelos dois protagonistas, alternando as visões a cada nova passagem. São curtos e passageiros, e deixam uma série de pontos soltos no ar. Seria até razoável se a escrita não pecasse mais uma vez. Infantilizada demais, mesmo sendo focada para o público adolescente. Hello, eu sou professora do ensino médio e meus alunos não falam assim nem aqui, nem na China. Acho que para poder escrever algo do tipo, o autor deveria no mínimo se ambientar mais, conviver de perto com o público alvo, algo que não foi feito, considerada a leitura.

Bom, me decepcionei e muito! Mas quero ver como o autor lidará na continuação da série e vou persistir até o final. Quem sabe ele não se toca e melhora? 

Mostrei a baqueta para ele. Vi medo e orgulho naquela cara pontuda dele. Ele arregalou os olhos para mim. 
- Abaixe isso! É uma ordem!
- Ah, não, sou uma bruxa malvada e assustadora! - eu disse com uma voz meio psico. - Vou transformar você em uma abóbora! Abracadabra!

Um comentário

  1. HAHAHAHA essa última frase é infantil demais kk' Não li outra resenha do livro, essa foi a primeira. Estava bem ansioso (estava, estava, estava) para ler o livro e agora me decepcionei. Tinha o colocado na lista de leituras primordiais e agora estou quando tirando ele de lá. Bela resenha Pam!

    Beijos, Lucas
    ESCONDIDOS NO LIVRO!

    ResponderExcluir