[Resenha] O Julgamento de Gabriel

20 agosto 2013

O Julgamento de Gabriel
Autor: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 373
5_estrelas.png (145×27)

Sinopse: Gabriel Emerson e Julia Mitchell se conheceram há muito tempo, quando ela ainda era adolescente, numa noite mágica e confusa. Mas, apenas de todo o sentimento que nasceu entre eles, seus caminhos se separaram no dia seguinte. Anos depois, quando Julia começa o mestrado na Universidade de Toronto, eles se reencontram, Gabriel é um professor enigmático, sedutor e muito arrogante que a tormenta e persegue. No entanto, o que mais faz Julia sofrer é ele não se lembrar dela. Mas nem mesmo o insensível Gabriel e capaz de resistir à profunda conexão que existe entre eles e logo os dois embarcam numa tórrida paixão proibida. Com o fim do semestre e do curso ministrado por Gabriel, eles deixam de ser professor e aluna e enfim estão livres para viver seu amor. Ou pelo menos era o que pensavam. Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados. Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que esse romance conseguirá resistir a um julgamento implacável? Na apaixonante sequência de O Inferno de Gabriel, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.

Segundo volume da trilogia de romance erótico, em O Julgamento de Gabriel vemos a relação entre Julianne e Gabriel de maneira mais aprofundada. Os primeiros altos e baixos do casal são apresentados em uma narrativa envolvente, sensual e romântica.


Eu preferia passar o resto da minha vida bebendo do seu amor a esvaziar todos os oceanos do mundo. [Gabriel – pg 110]

Diferente do primeiro, nesse temos um Gabriel mais pervertido e uma Julia iniciada no mundo sexual com seu parceiro. Mas mesmo assim, as cenas são descritas brevemente, em pouquíssimas linhas e de maneira suave, bem diferente do que a maioria dos romances eróticos fazem. Sylvain Reynard consegue com maestria identificar realmente uma história de amor, em meio ao pecado do sexo de forma concreta.

Há duas personagens que me desagradaram bastante, que são Christa, com sua cara de pau e safadeza por vingança só porque ele não a quis, e a própria protagonista, Julianne. Gente do céu. Em muitos trechos ele deixa explícito o quanto mudou por causa do amor que sente por ela, e ela lá, brisando e brigando com ele por motivos fúteis. Ela não conseguia entender nem uma mísera indireta.

E o troféu vai para Gabriel Emerson. Como ele mudou da água para o vinho desde o final do primeiro livro, minha gente. Ele é um verdadeiro gentleman, um cavalheiro! Agora vou ficar procurando um homem como ele. Obrigada Arqueiro, hahahaha.

- Passei tempo demais nas sombras – disse Gabriel, sua voz transbordando de emoção. – Estou ansioso por estar na luz. Com você. [pg 372]


Estou ansiosíssima pelo último volume da trilogia que chegou para provar que a literatura erótica não se faz apenas de palavras de baixo calão e sexo exacerbado. Parabéns novamente à editora Arqueiro pelo belo trabalho, tanto na parte gráfica, quanto o cuidado com o próprio texto. Impecável!

Um comentário

  1. Sou suspeita para falar dessa série. Adoro o Gabriel e acho a escrita do Sylvain simplesmente maravilhosa! Definitivamente o melhor erótico que já li, principalmente pelo fato do autor abordar diversos assuntos e não tratar o sexo como algo banal.
    Adorei a resenha.

    Beijocas,
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir