[Técnicas de Redação] O Texto e a Comunicação

26 janeiro 2014

E o Técnicas de Redação está de volta, desta vez abordando a essência do que é texto e o processo de comunicação. Vamos conferir?



Se você pretende escrever, é porque objetiva dizer alguma coisa a alguém. Da mesma forma como se pegasse o telefone para conversar com um amigo, você quer ser entendido. Nos dois casos (texto ou telefonema), podemos falar em comunicação. Nos dois casos há troca de informações.


O processo de comunicação pode ser, simplificadamente, representado por:

E ========: M :=======è R

E = Emissor, quem elabora e envia a mensagem;
M = Mensagem, o conteúdo informativo que “viaja” de E até R;
R = Receptor, quem recebe e traduz a mensagem.

Ao discar para falar com um amigo, você assume o papel de emissor e ele, o do receptor. O recado passado pelo telefone é a mensagem. E, quando escreve, você é o emissor. O destinatário é o receptor e o conteúdo do texto, a mensagem.

A comunicação se estabelece quando o receptor entende exatamente o que o emissor pretendia transmitir.

Para conseguir comunicar-se, é preciso antes de tudo conhecer o receptor. Uma regra eficiente é utilizar palavras e expressões que compareçam com frequência no falar das pessoas comuns. Não podemos entender que a leitura seja interrompida a cada momento para consultas ao dicionário, por exemplo. Corremos risco de a consulta não acontecer e o leitor simplesmente saltar as palavras difíceis, prejudicando o entendimento da mensagem. É o equívoco de valorizar o palavratório vazio (mas sonoro) dos bacharéis, o responsável pela falsa ideia de que “escreve bem quem escreve difícil”. Distribuir algumas palavras difíceis pelo texto, na intenção de valorizá-lo, é engano da mesma família. Cada palavra de baixa frequência é um tropeço para a leitura.

Se o objetivo é enviar com eficiência a mensagem, não é sensato complicar-lhe a decodificação, o entendimento. A ordem é facilitar ao máximo a leitura. Quer dizer, escrever de forma a que o leitor entenda sem muito esforço o que pretendemos dizer.

Busque algumas qualidades para seu texto, como:

1. Simplicidade – livre-se das construções pouco usuais;
2. Clareza – ponha-se no lugar do leitor: ele vai entender o que você escreveu?
3. Objetividade – vá direto ao ponto;
4. Coerência – elimine as contradições;
5. Harmonia – busque ordem e proporção entre as partes, leveza e sonoridade da expressão.

Exemplo:

Era uma vez um tanoeiro, demagogo, chamado Bernadino, o qual em cosmografia professava a opinião de que este mundo é um imenso tonel de marmelada, e em política pedia o trono para a multidão. Com o fim de pôr ali, pegou de um pau, concitou os ânimos e deitou abaixo o rei; mas, entrando no paço, vencedor e aclamado, viu que o trono só dava para uma pessoa, e cortou a dificuldade sentando-se em cima.
(Primeiro parágrafo do conto O dicionário, do livro Páginas recolhidas, escrito por Machado de Assis).


Espero vocês na próxima edição!

9 comentários

  1. Oi, Pamela!
    Achei super interessante você dar algumas dicas. Isso é super útil para quem pensa em ser escritor, mas ainda está no comecinho da carreira. Sem contar que, além disso, saber escrever bem é algo que todos nós precisamos!

    Beijos, Gabi Prates
    Palácio de Livros

    ResponderExcluir
  2. E salve a Fessorinha!
    Primeira vez que li a coluna e gostei muito da dica, vou até lapidar, opa, arrumar o post que estava no rascunho. rsrsr
    Beliscões da Máh ♥
    Blog
    Twitter

    ResponderExcluir
  3. Oie!

    Nosso, ótimas dicas, realmente simplicidade, e nos colocar no lugar do leitor é muito importante. O exemplo que você citou, entendi pouca coisa, acho que Machado de Assis precisa aprender com você (rsrs). Objetividade é o que eu sempre busco em um livro, texto, resenha, é muito importante. Abraços!

    http://momentoliterario1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Flor!
    As dicas que vc posta são ótimas!

    1. Simplicidade
    2. Clareza
    3. Objetividade
    4. Coerência
    5. Harmonia

    Resumiu e disse tudo!
    Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Novamente, um texto super claro e objetivo, parabéns. Não consigo entender essas pessoas que acham bonito usar palavras difíceis, sinceramente. Acho que é importante fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para facilitar a comunicação.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Oieee, lembro-me muito bem destas regras quando fazia cursinho pre vestibular haha, ajudaram bastante no enem e no vestibular :)

    Bjoo

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem???
    Bom eu adoro entrar em um blog e ter esse tipo de assunto que nos preenche e nos ajuda com a escrita do dia a dia... Eu adoro escrever... e as vezes tenho dificuldade, sou um pouco lerda no raciocínio e as tenho dificuldade de entendimento. Eu entendi o que quis dizer neste post, mas infelizmente não entendi muita coisa... vejo que preciso vir aqui mais vezes. rs. Xero!!!1

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Pamela,
    tudo bem?
    Onde estava você nos meus tempos de escola??? (risos...)
    Eu não sou escritora, mas todos nós escrevemos o tempo todo, um bilhete, uma resenha, uma carta, um documento.
    Gostei muito dessa sua coluna.
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Pam,

    Parabéns pela clareza da sua escrita. Muito bacana esta sua iniciativa, pois nos faz refletir. Obrigada por compartilhar um pouco do seu saber conosco.

    Bjs
    Tânia Bueno
    http://facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir