[Resenha] Mar da Tranquilidade

26 outubro 2014

Mar da Tranquilidade
Autora: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 368
5_estrelas.png (145 × 27)

Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se um algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.

Quem me conhece sabe que eu não tô acostumada a ler sinopses dos livros que compro ou que peço. Gosto de ser surpreendida, de maneira positiva ou negativa. E não foi diferente com os livros solicitados para a Editora Arqueiro. Assim que o Léo, parceiro do Segredos Entre Amigas, soube que eu havia recebido, pediu (ordenou) que eu lesse ele o mais rápido possível. E não é que todo o surto que ele teve passou pra mim?

Confiram a resenha clicando em Continue Lendo e tome cuidado, pois não me responsabilizo caso haja spoiler (muahahaha).


Nastya Kashnikov tem dezessete anos e está no último ano escolar e acabou de se mudar para a Flórida, para morar com sua tia Margot. Depois de todos os acontecimentos que ocorreram em sua vida há dois anos, ela não havia mais pisado em uma sala de aula e conseguia, finalmente, sua tão querida “liberdade”.

Ela quer ser neutra e não chamar a atenção de ninguém – pelo menos não da maneira mais correta. Usa roupas curtas, decotes extravagantes e salto alto, tudo no mais lindo e belo preto.

Eu pareço ter saído de um caixão.

E é aí que ela percebe que há um garoto que parece ter um campo de força, pois ninguém passa ao menos perto. Josh Bennette é o típico nerd introspectivo, que perdeu amava. Talvez seja este o ponto de o porque ninguém se aproximar dele.

O livro tem muitos picos de emoção, mas talvez um dos principais seja o fato de Nastya não falar. Simplesmente, depois de tudo o que aconteceu em sua vida, ela parou de falar.

Qual será o trauma que a fez ficar deste jeito? Será que ela é passível de cura? Será que é possível ela curar um outro coração destroçado?

Mar da Tranquilidade é muito mais do que isso que disse acima. É a luta pelo anonimato, para se reerguer. É pode contar com alguém que já passou por dores talvez piores e que sabe como te tratar.

- Às vezes eu esqueço como se respira.

O Mar da Tranquilidade citado no título do livro, assim como em A Culpa é das Estrelas, também tem seu significado explicado em determinado trecho da obra. Em algumas partes, cheguei a rir do jeito de Nastya.

Acho que um dos momentos mais emocionantes foi, sem sombra de dúvidas, o fato de ela ter apenas uma parte de seu corpo inquebrável, e ela busca incessantemente que isso mude.

As revelações finais são incríveis. Como sempre, podemos observar alguns apontamentos para o que irá acontecer, mas desta vez não consegui imaginar nada daquilo. Foi perturbador estar na mente de Nastya durante o fatídico dia em que ela perde sua própria identidade.

Estou numa baita ressaca literária só de ter acabado o livro. Se soubesse que ele era tão bom assim, tinha devorado mais devagar, rs.

Lembrando que a narrativa é cativante, principalmente pelo fato de o livro ter a visão dos dois personagens principais. Podemos compreender o que cada um sente e o porque serem daquele jeito.

A Editora Arqueiro está de parabéns pela diagramação e capa no padrão das lançadas lá fora. Tudo impecável, como sempre. Mar da Tranquilidade veio com a mesma proposta de Se eu ficar, mas conquistou mais espaço e o coração dos leitores. PARABÉNS!


As pessoas desaparecem o tempo todo. Talvez eu nem notasse.

6 comentários

  1. Oi Pam! Tudo bem?
    Nossa quando eu vi esse livro fiquei curiosa e como você não sou se ler sinopse dos livros,gosto de ser surpreendida hehehehe
    Adorei a sua resenha e me deixou mais curiosa ainda \o/ Mas agora estou nos livros do quarteto das noivas;Mar da Tranquilidade está entre os livros que solicitarei para a arqueiro!
    Ótima resenha,parabéns!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Oi flor, é a segunda resenha que leio desse livro e fiquei mais encantada, quero muito lê-lo desde que vi o lançamento,anotado aqui.
    Você fez uma ótima resenha..

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Já tinha visto o livro circulando por ai... mas não havia me interessado.
    Adorei sua resenha e agora PRECISO ler rsrsrs
    Li recentemente Willow da Leya, que fala sobre uma menina atormentada pela culpa que se isola de todos e se corta para esquecer... O livro é lindo <3
    Parabéns pela resenha!
    Clã dos Livros

    ResponderExcluir
  4. Tua resenha despertou minha curiosidade, coisa que a capa e a sinopse não conseguiram fazer. kkkk

    Bora aumentar a lista de falência e leituras pendentes que nunca diminui :P

    bjs
    www.confraria-cultural.com

    ResponderExcluir
  5. Pammmmm pam pam!
    Eu quero muito ler esse livro depois dessa sua resenha! Acho que é o meu número! Também não gosto de ler sinopses, é raro eu ler antes de comprar até mesmo!
    Parabéns pela resenha amada! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Pams, tudo bem ?
    Eu estou encantado com sua resenha. Também não sou muito de ler sinopse e por isso achei que esse fosse só mais uma "romancezinho" aguá com açúcar, só que ele parece ser bem melhor do que isso. Estou louco para lê-lo depois dessa ótima resenha.

    ResponderExcluir