[Cinema em Casa] Frida

11 julho 2015


Hoje foi dia de Cinema em Casa, coluna criada tendo em vista a Semana Especial Frida Kahlo (provavelmente ela será mantida, mas isso depende da aceitação de vocês). Nós três – eu, Mari e Brubs – assistimos ao filme que teve como base a vida do ícone do século XX Frida Kahlo.




Interpretada por Salma Hayek, Frida toma forma assim como a imaginávamos, depois de tanto ler sobre sua vida. O filme tem como ponto de partida o ano de 1922, o mesmo em que ela entra na Escola Nacional Preparatória do Distrito Federal do México, onde assiste a aulas de desenho e modelagem.

É aí que ela conhece Diego Rivera, interpretado por Alfred Molina. É claro que na história real, ela só o conheceria em 1928, 6 anos após o retratado no filme. Mas este é um trecho que não tem tanta importância, pois ela realmente só tem contatos com ele muito tempo após seu acidente.



Falando em acidente, que cenas magníficas as que mostraram como tudo aconteceu. Demonstra direitinho as sequelas, a vida da artista depois do fatídico dia. Ela mudou da água para o vinho, não esquecendo sua vitalidade e seu próprio caminho a seguir. Ela lutou para viver todos os dias que amanheceu ruim, com dor, tomando remédios fortíssimos.

A singularidade de como é retratada a alma de Frida no filme é o ponto alto para que todas nós conseguíssemos apreciá-lo tanto. Nunca uma película foi tão fiel à vida de uma personalidade pública quanto esta.  Além disso, a atuação dos dois protagonistas é impecável, assim como as vestimentas, que retratam justamente todas as fases dos dois. Tudo culminou para que Frida fosse um dos filmes mais apreciados de 2002.



Já deixo um aviso: se você é menor de idade, talvez seja aconselhável assistir com um adulto por perto, pois há algumas cenas fortes de sexo e nudismo. São poucas, mas mesmo assim é bom avisar!

Frida foi uma mulher de personalidade forte. Ia atrás de seus sonhos, sem medo algum de quebrar a cara. Ficamos impressionadas com a força dela, pois, mesmo com as dores fortíssimas devido às sequelas do acidente, ela continuou sua batalha, não se deixando enfraquecer. As pinturas dela após o trágico dia foram ainda mais perfeitas, realistas, feitas com o coração.

Tudo nos impressionou!



O amor dói. Pode ser cruel em muitas vezes. Mas uma mulher sempre faz a diferença.

Frida foi a diferença na vida de Diego Rivera.




4 comentários

  1. Apesar de eu ser uma pessoa alienada, já havia ouvido falar bastante a respeito da Frida, mas como não sou nenhum exemplo de pessoa informada, nunca fui atrás de algo mais concreto a respeito de sua história.

    Gostei da ideia do CINEMA EM CASA e gostaria que continuasse, pois que triste seria minha vida sem você para me tirar do poço da ignorância? hahahaha

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que tinha um filme sobre a vida de Frida, vou procurar e pretendo assistir, pela resenha do filme ele deve ser bom, por retratar bem fielmente como foi a vida dela, e por ela ser uma mulher de personalidade forte e cheia de atitude deixa melhor ainda e mais interessante a história do filme.

    ResponderExcluir
  3. Antes de ver no seu blog eu não sabia nada sobre ele e nunca tinha lido nada, mas desde que comecei a ver porque aqui me interessei em saber mas sobre ela e com certeza pretendo assistir ao filme

    ResponderExcluir
  4. Já sabia em relação ao filme,mas nunca havia tido o interesse de ver, mas depois de tantas postagens e saber grandes fatos sobre a vida desta grande mulher, com certeza vou querer assistir.....

    ResponderExcluir