[Resenha] As lágrimas de Shiva

16 novembro 2015

As Lágrimas de Shiva
Autor: César Mallorquí
Editora Biruta
Números de Páginas: 200

 Sinopse: Em certa ocasião, faz muito, muito tempo, eu vi um fantasma. Isto mesmo: um fantasma, uma aparição, um espírito; pode chamar como quiser, o caso é que o vi. O fato ocorreu no mesmo ano em que o homem chegava à Lua. Houve momentos em que tive muito medo como se estivesse vivendo numa novela de terror. Tudo começou com um mistério: o desaparecimento de um objeto muito valioso, perdido durante sete décadas. As Lágrimas de Shiva, assim se chamava o objeto extraviado. Vinganças, amores proibidos e estranhas desaparições, tudo envolvia o misterioso objeto. Havia um fantasma, afirmo, e um segredo muito antigo oculto nas sombras, mas aconteceu bem mais do que poderia imaginar.
Sabe aquele livro que você não dá nada, que pensa que será uma leitura qualquer? Então, ao escolher As lágrimas de Shiva, pensei que o livro seria assim, uma leitura e nada mais. Porém, acabei me enganando e paguei a língua, rs.

Em algumas ocasiões a matemática deixa de ser uma ciência para torna-se algo concreto. Pág 123

O pai de Javier está internado devido à tuberculose. Logo ele receberá alta, mas como pode ter o perigo de contágio, o garoto - contra sua vontade - é mandado para a casa de seus tios. Chegando lá ele revê seus tios e primas.

Javier pensa que será  sua pior férias, mas mal sabe ele que acabará sendo inesquecível. Com o passar dos dias, ele vê o quadro dos antepassados da família Obrégon e assim conhece Beatriz Obrégon, excluída pela família. Javier acaba curioso por saber o porque dessa exclusão e, além disso, ele quer saber também sobre “as lágrimas de Shiva”. E é a partir daí que um espírito começa a persegui-lo. Javier e sua prima, Violeta, acreditam ser o espírito de Beatriz. Será? Mas porque o espírito os persegue? E as lágrimas de shiva? E são essas perguntas que rodeiam a leitura.

Esse livro foi uma ótima surpresa. Narrado em primeira pessoa, dá a impressão de ser uma história verídica. Por muitas vezes, eu com minha mania de ler a noite, antes de dormir, pensava que tinha alguém do lado, parecia sentir a presença de Beatriz e, cagona do jeito que sou, fechava o livro e cobria a cabeça.

E assim foi a leitura, com uma certa desconfiança, mas que me agradou, que me prendeu, que teve seus pontos baixos... mas qual livro não tem, né?! Nada disso estragou a leitura. Esses pontos baixos foram algumas partes que achei desnecessárias, mas nada que deixasse chato ou algo do tipo.

O que mais gostei foi a disputa de leitura que Javier tinha com sua prima. Qual leitor não iria gostar?De resto, não tenho mais o que falar. É um livro que recomendo a leitura e, para aqueles que gostam de desvendar um mistério, é um livro com um toque de romance e com aquele final lindo e simples.

- Às vezes os sentimentos são tão intensos que doem. Mas você não tem que sentir vergonha por demonstrar (...) Pág 197

Um comentário

  1. Brubs,

    Confesso que ao ler a sinopse me senti exatamente como você, a sinopse e a capa não me prenderam a minha atenção. Em compensação, o seu relato me deixou mega curiosa, dica anotada, quem sabe um dia não dou uma chance a ele?

    Abraços,

    ResponderExcluir