[Resenha] A menina da neve

09 janeiro 2016


A Menina da Neve
Autora: Cecelia Ahern Eowyn Ivey
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 352
Você pode adquiri-lo: Amazon | Submarino

Sinopse: Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece. Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca. Enquanto o casal se esforça para entendê-la, uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles. 

Li a amostra enviada pela editora e fiquei curiosa pelo restante da obra. Mesmo não sendo uma leitura da minha rotina, o jeito que autora escreve me encantou e despertou essa vontade de conhecer um pouco mais a fundo.


Conhecemos um casal que está fugindo de uma perda: um filho que não conseguiram ter. Diante dessa situação, Jack e Mabel se mudam para o Alasca em busca de novos horizontes, deixando essa triste realidade para trás.

Essa mudança acaba afastando-os e com um problema ainda maior: uma tempestade de neve acaba tornando tudo mais complicado. A sorte deles é encontrar e fazer novos amigos onde moram.

Seus vizinhos Esther e George, seu marido, com seus filhos, acabam acolhendo os dois, convidando-os para jantar e caçar, tornando os problemas um pouco menos complicados e se divertindo um pouco.

Em um belo dia, Mabel e Jack estão mais próximos e percebem, finalmente, que ainda se amam e estão se divertindo na neve. Decidem então fazer uma boneca com ela, representando a filha que eles tanto queriam. No dia seguinte eles percebem que não existe mais a boneca, só uma menina andando pela neve. Sem saberem se era real ou fruto da imaginação deles, eles curtem o momento.

A escrita da autora é tão boa e diferente, fiquei encantada. A forma com a qual ela conduziu a história deixa o leitor mergulhado no universo deles.

Indico para aqueles que querem algo com uma escrita diferente, para aqueles que querem fugir de leituras comuns.

“Ela não conseguia entender o milagre hexagonal dos flocos de neve que se formavam nas nuvens, os ramos leves como pena que caíam na manga do casaco, estrelas brancas se derretendo ao mesmo tempo que brilhavam. Como tal força e beleza existiam em algo tão pequeno, fugaz e desconhecido?”


Nenhum comentário

Postar um comentário