[Resenha] Birman Flint e o Mistério da Pérola Negra

29 abril 2016

Birman Flint e o Mistério da Pérola Negra
Autor: Sergio Rossoni
Editora: Chiado Editora
Número de Páginas: 383
Onde comprá-lo: Amazon

Sinopse: Após mergulhar num mundo sombrio cercado por assassinos e traidores, Birman Flint depara-se com uma estranha verdade em torno de um antigo legado transformado numa maldição. A busca pelo misterioso artefato conhecido como Ra´s ah Amnui pode ser a resposta para a conspiração em torno do Czar Gatus Ronromanovich e sua família, conduzindo Flint por caminhos obscuros muito além da sua própria compreensão. Um artefato, uma estranha seita e um assassinato, todos eles interligados por algo que parece representar a chave deste misterioso enigma. Uma jóia, um objeto de rara beleza ocultando em si um passado sombrio, lançando nosso herói numa corrida contra o tempo para salvar a dinastia Ronromanovich do desastre iminente.

Este é um daqueles livros que nos assusta pelo tamanho, mas que durante a leitura acabamos devorando-o, sem nem perceber o pequeno detalhe das quase 400 páginas. Por ser um livro da Chiado Editora, a folha tem um volume maior, que nos dá a impressão de ser um livro com pelo menos 600 páginas – pra mais, rs.

A história se passa na Europa Ocidental, no ano de 1920, onde conhecemos o protagonista Birman Flint, um gato, e que é um importante jornalista, realizando investigações para o Diário Felino.

Depois da morte misteriosa de um emissário do Czar Gatus Ronromanovich, ele se depara em uma investigação pra lá de imaginativa, com muitos detalhes e muitos mistérios.

Birman auxilia seu amigo, Gallileu Ponterrouax, que é o Galo detetive responsável pelas investigações. Diante desse novo mistério, ele não pensa duas vezes em procurá-lo. Juntamente com o camundongo Bazzou, que também tem papel importante nessa tarefa, eles partem para Moscóvia. Trabalhando em conjunto com a polícia imperial, acabam descobrindo que segredos e lendas da família imperial ameaçavam o novo império.

A trama por si só vai conduzindo o leitor. O autor criou personagens ricos e únicos, cada um com algo que nos conquista – de certa forma. Nos momentos em que a leitura se tornava um pouco mais arrastada, uma cena nos empolgava novamente e assim vai indo até o final da história. Mas por ser uma série, o final ficou bem aberto para a continuação, deixando a leitora aqui curiosa para o próximo livro.

Não quis colocar muitos detalhes da história por ser tratar de um livro que, um detalhe a mais, poderá ser um spoiler. Portanto prefiro deixá-los com aquele  pontinho de curiosidade.

Gostei do toque diferente que encontrei na leitura, animais falantes. Esse mistério e suspense, os nomes dos personagens, inclusive a narrativa do autor, que foge do que geralmente encontramos nesses livros.

Em suma, a leitura foi boa. Uma surpreendente obra que nos faz viajar na imaginação. Um livro que devoramos para desvendar os mistérios e encontrar as pistas. Indico a todos que gostem um suspende divertido e diferente.

O trabalho da editora seguiu o padrão de suas publicações, uma folha um pouco mais grossa e fonte boa para leitura.

Nenhum comentário

Postar um comentário