[Resenha] Macunaíma

A resenha de Macunaíma já saiu aqui no blog logo quando o criamos, em 2011. Eu vou deixar aqui a mesma resenha, pois ela transmite tudo o que penso sobre a obra. Espero que apreciem. 


Macunaíma vem de “Maku”, que significa “mau” e o sufixo “Ima”, “grande”. Assim, Macunaíma significaria “O grande mau”.

Para que houvesse a produção do livro, Mário de Andrade realizou um árduo trabalho de pesquisa que, frequentemente, mistura elementos de diversas regiões do país, ao buscar desregionalizar sua obra, concebendo literariamente o Brasil como entidade homogênea. O autor também inverte relatos de cronistas quinhentistas, como Pero Vaz de Caminha no capítulo “A Carta pras Icamiabas”.

Há entre os personagens certa dualidade, múltiplas personalidades.

A obra é constituída por uma rapsódia, que são narrativas folclóricas contadas através de cantos. Há também uma ligação entre A Demanda do Santo Graal e Macunaíma, que é a busca do objeto sagrado (em Macunaíma, há a busca pela Muiraquitã).

O principal personagem do livro e que dá nome ao mesmo é regido pelo principio do prazer, e não do dever, remetendo-nos à Freud.


É um clássico da literatura brasileira e deve ser lido, nem que para fins meramente pessoais.


Macunaíma
Autora: Mário de Andrade
Editora: Novo Século
Número de páginas: 184
Onde comprá-lo: Box Amazon




Sinopse: Macunaíma é considerado um indianismo moderno, escrita sob a ótica cômica. Critica o Romantismo, utiliza os mitos indígenas, as lendas, provérbios do povo brasileiro e registra alguns aspectos do folclore do país, até então pouco conhecidos (rapsódia). O livro possui estrutura inovadora, sem seguir uma ordem cronológica e espacial. É uma obra surrealista, na qual se encontram aspectos ilógicos, fantasiosos e lendas. Adota como protagonista um personagem fantasioso e complexo, o qual se misturam os mais diversos traços de nossa formação cultural.

Um comentário

  1. Olá!
    Eu não tinha conhecimento desse livro, sei que tem muitos livros brasileiros dessa maneira e são ótimos, quero ter essa oportunidade de ler livros daqui do brasil.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir