O Diário do Leitor

16/01/2019

[Informativo] Dicas de Filmes para as Férias - Parte 1



Faltam exatos 15 dias para o fim das minhas férias e ainda estou aproveitando muito a Netflix. Então vou postar algumas dicas até lá. Uma delas é de um filme peruano chamado COMO SUPERAR UM FORA.



SINOPSE E DETALHES
Não recomendado para menores de 12 anos

Quando uma solitária publicitária sofre mais uma desilusão amorosa, ela decide que precisa desabafar sobre as coisas que ocorrem em sua vida, por mais que tenha vergonha de mostrar seus sentimentos a outras pessoas. Para driblar esse impedimento, ela cria um blog e escreve lá todos os anseios da vida de uma mulher solteira de meia-idade, mas se surpreende com o sucesso que atinge.

Título original Soltera codiciada
Distribuidor Netflix
Ano de produção 2018
Tipo de filme longa-metragem
Idiomas Espanhol


12/01/2019

[Informativo] Renovamos com a Faro Editorial


Mais um ano começou e com ele a grande surpresa de que em 2019 vamos contar com a Faro Editorial novamente. Estamos com eles desde o começo, há quase 6 anos e muito felizes de poder mostrar a vocês muitas novidades que eles nos trarão dentro dos próximos meses!



11/01/2019

[Resenha] O Despertar - Uma saga em dois atos


Em O Despertar - Uma saga em dois atos conhecemos a história da família de Jorge e Helga que, após o nascimento de suas filhas gêmeas, resolvem se mudar do Rio de Janeiro para o interior de São Paulo.

No caminho da mudança eles se depararam com um carro quebrado no meio da estrada. Jorge decide socorrer, mas os dois caras eram na verdade bandidos, que acabam sequestrando Jorge e Heloísa. Mesmo com as investigações da polícia não foi encontrado nada, nenhuma pista. Então, depois de algum tempo, os dois foram dados como mortos.

Após esse tempo Helga acabou se casando com Ariston. Ele estava no dia do incidente e, após o episódio, estava sempre ao lado de Helga, dando apoio e um ombro amigo, cuidando – inclusive – de Helena como um verdadeiro pai, todo cuidadoso e atencioso.

Mas depois de 14 anos ele não era o mesmo. Sempre as tratava com grosseria.  Helga quis dar um descanso e resolve aceitar um convite de seu irmão mais velho para passar uns dias no Rio de Janeiro.

Acabam indo para um evento musical e Helena acaba tendo uma surpresa com uma das integrantes da banda: ela é a sua cara. Isso acaba chamando a atenção de sua avó, que fica bem desconfiada e acaba buscando mais informações.

Elas acabam descobrindo o nome da jovem: Janaína, uma artista dedicada e talentosa, que a partir das reviravoltas da história terá que ir em busca de sua essência.

Um livro com muitas transformações, um tanto comovente por toda a história em si. Podemos observar a evolução e amadurecimento dos personagens e, de certa forma, a evolução do autor nessa história.

Um livro nacional que indico a todos, uma leitura rápida, folhas amarelas e fonte boa.

O Despertar - Uma saga em dois atos
Autor:  Maleno Maia
Editora: Giostri
Número de páginas: 320
Onde comprá-lo: Submarino



Sinopse: Um casal jovem, começando a vida em comum, passa por maus bocados quando o marido e uma das filhas gêmeas são sequestrados. O tempo passa e as marcas deste triste acontecimento não são esquecidas, reforçadas todos os dias pela lembrança. Mas a vida ainda surpreenderá muito Helga, a filha Helena e a matriarca Roseli, que de repente se veem de novo em meio a uma roda-viva de acontecimentos inesperados.
 

09/01/2019

[Resenha] Vox


Sendo comparado ao aclamado título de Margaret Atwood, O conto da Aia, Vox chegou às livrarias no final de 2018 com a proposta de trazer ao leitor uma distopia mais próxima do que estamos e poderemos viver.

Christina Dalcher nos apresenta em seu livro um Estados Unidos baseado na fé, onde as mulheres (independente de sua idade) não tem mais direitos, não tem mais liberdade. Mas o mais importante: elas não têm mais voz. Cem palavras. O contador avisa quando cada uma é dita. Ao chegar em zero, cada vocábulo a mais é como uma sentença de morte. Uma espécie de choque é dado e você rezará para nunca mais cometer este pecado.

O foco em Vox é a vida e Jean McClellan, ex-cientista, mãe de dois meninos (Steven e Jean) e uma menina (Sonia), casada com Patrick. Desde que tudo mudara no país, ela não pode mais continuar com sua carreira em neurolinguística. Além disso, não pode ler, escrever, falar. O fato de pensar em tudo o que tem que falar acaba deixando as mulheres exaustas. Há tanto de errado que elas queriam contar para o mundo. Mas sua maior preocupação é com Sonia. A menina não teria um bom desenvolvimento se não falasse da forma certa, ou seja, desenfreada, igual uma criança normal.

Jean vê sua vida mudar quando o governo lhe procura justamente por ser especialista em neurolinguística. Claro que ela não poderia fazer o que sua amiga Jackie fez: passeatas, eventos contrários ao governo. Mas ela tentaria ao máximo reverter aquela situação.


Tenho que confessar que achei magnífica a forma com a qual Christina descreve os personagens da própria família. Percebemos que ela tem um enorme ranço pelo marido, porque ele não se compromete em ajudar em absolutamente nada. Ele estava tão acomodado à situação que achava que tudo aquilo estava correto, assim como o filho mais velho estava se tornando. Sua postura frente as mulheres estava sendo construída durante sua adolescência da forma errada, totalmente a favor do novo sistema instaurado no país.

Hoje, observando como nosso país e muitos outros do mundo estão caminhando, percebo que tenho medo de que tudo isso um dia realmente aconteça. A realidade distópica descrita em Vox amedrontou milhares de leitores pelo mundo. Claro que os acontecimentos narrados ao final do livro poderiam ter sido muito melhor aprofundados, mas creio que a autora deixou algo reservado para um novo livro.

O que mais me chamou a atenção em toda a trama construída é a forma que as mulheres tentam se comunicar falando tão pouco. Acho que eu, como boa geminiana e professora de Língua Portuguesa, não conseguiria tais proezas e, provavelmente, iria levar belos choques várias ao dia. Além disso vemos um texto totalmente escrito de forma direta e objetiva, mesmo que por algumas vezes passe pelo passado para que possamos compreender o presente e o que o futuro reservava.

A edição ficou primorosa. Simples, mas que transmite a essência do que encontraremos dentro: minimalismo. Não encontrei erros de revisão durante a leitura e achei a diagramação prazerosa. Em suma, é um livro que deve ser lido não apenas pelo público feminino, ainda que este seja o maior alvo da obra, mas os homens tem que começar a abrir os olhos para uma sociedade cada dia mais machista, preconceituosa e que coloca as mulheres como seres inferiores, ainda que tenhamos conquistado algumas lutas.


Vox
Autora: Christina Dalcher
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320
Onde comprá-lo: Amazon


Sinopse: O governo decreta que as mulheres só podem falar 100 palavras por dia. A Dra. Jean McClellan está em negação. Ela não acredita que isso esteja acontecendo de verdade. Em pouco tempo, as mulheres também são impedidas de trabalhar e os professores não ensinam mais as meninas a ler e escrever. Antes, cada pessoa falava em média 16 mil palavras por dia, mas agora as mulheres só têm 100 palavras para se fazer ouvir. Lutando por si mesma, sua filha e todas as mulheres silenciadas, Jean vai reivindicar sua voz.


07/01/2019

07.01 - Dia do Leitor




Você sabia que hoje é comemorado no Brasil o Dia do Leitor? Sabe também o porquê foi escolhida essa data? ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

No dia 7 de janeiro de 1928, o jornal “O Povo” começou a circular em Fortaleza. Seu fundador, o poeta e jornalista baiano Demócrito Rocha, foi formado em Odontologia e chegou a ser telegrafista e deputado federal. Para homenagear Demócrito e seu jornal, e a todos os apaixonados por ler, a data de fundação do periódico passou a celebrar o Dia do Leitor no Brasil.

Nada mais justo, não é mesmo? Agora chega de enrolação e vamos comemorar! No Instagram do blog tá rolando uma super promoção, então corre lá pra participar :)  

[Fonte: https://querobolsa.com.br/revista/dia-do-leitor]



SUBIR