[Resenha] Ísis Americana

21 outubro 2015

Ísis Americana
A Vida e a Arte de Sylvia Plath
Autor: Carl Rollyson
Editora: Bertrand Brasil
Número de Páginas: 392

Sinopse: A vida e a obra de Sylvia Plath assumiram proporções lendárias. Educada na Smith College, uma faculdade particular de artes para mulheres, a escritora norte-americana manteve um relacionamento conflituoso com a mãe, Aurelia, e, após o casamento com o poeta Ted Hughes, foi absorvida pelo redemoinho da consagração literária. Seus poemas foram disputados, rejeitados, aceitos e, por fim, aclamados por leitores de todo o mundo. Aos 30 anos, Sylvia cometeu suicídio enfiando a cabeça num forno enquanto os filhos dormiam no andar de cima, em quartos que ela vedara contra o gás venenoso. Ariel, uma coletânea de poemas escritos numa velocidade avassaladora durante seus derradeiros meses de vida, tornou-se um clássico moderno. Seu único romance, A redoma de vidro, passou a fazer parte do cânone literário, constando em listas de leituras para estudantes de vários países. Nesta biografia a primeira a utilizar materiais recém-integrados aos arquivos de Ted Hughes na Biblioteca Britânica , Carl Rollyson nos apresenta uma Sylvia Plath poderosa, que abraçou tanto a baixa quanto a alta cultura para se transformar na Marilyn Monroe da literatura contemporânea.

Quando vi que a Bertrand Brasil estava disponibilizando um livro “biográfico” de uma das autoras mais conhecidas do mundo, não pude perder a oportunidade de solicitá-lo. É claro que eu mal sabia sobre ele, mas mesmo assim me aventurei. Isso foi lá para maio, mas só agora a resenha conseguiu ir finalmente ao ar.

Sylvia Plath morava em Londres e tinha 31 anos quando decidiu pôr um fim em sua vida. Ela teve o cuidado de vedar as portas dos quartos dos filhos com toalhas e roupas molhadas, além de deixar próximo às suas camas leite e pão e abriu as janelas, mesmo que sob forte nevasca. Tomou uma dose de remédios elevada e colocou sua cabeça no interior do forno ligado. Morreu pouco tempo depois. Não se sabe ao certo o porque desta atitude, mas o fracasso do casamento talvez seja uma ótima possibilidade.

Obs: uma curiosidade mórbida – um de seus filhos se suicidou em 2009, se enforcando após uma grave depressão.


A construção da narrativa foi feita de maneira rápida e envolvente. A linguagem totalmente acessível a todos é uma das vantagens da biografia. Claro que há alguns pontos soltos e nem tudo é esclarecido, mas como ninguém antes deu a devida atenção à Sylvia, creio que para uma primeira biografia “completa” da autora, está muito boa.

Poder ter contato com este tipo de livro é sempre bom. O final dela não foi feliz, mas sua vida serviu de inspiração para outros que sucederam.


Talvez se eu conhecesse um pouco mais Sylvia, poderia ter entendido melhor alguns fatos, com relação às obras criadas por ela. Mas é claro que vou procurar saber mais!

Nenhum comentário

Postar um comentário