[Resenha] Agência de Investigações Holísticas Dirk Gently

14 novembro 2015


 Agência de Investigações Holísticas Dirk Gently
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 240
Sinopse“Um colossal épico cômico musical romântico policial de horror sobre viagens no tempo, fantasmas e detetives.” — O autor. A série O Mochileiro das Galáxias consagrou Douglas Adams por sua fina ironia e sua capacidade de elaborar histórias hilárias e inusitadas. Porém, essa não foi sua única obra-prima. Também na década de 1980, ele criou o personagem Dirk Gently, cujos elementos principais surgiram quando escrevia episódios para Doctor Who, outro ícone britânico da ficção científica. Adams morreu em 2001, deixando dois volumes sobre as aventuras do detetive carismático e arrogante. Agora, finalmente, o primeiro livro é publicado no Brasil. Richard MacDuff é um engenheiro de computação perfeitamente normal que sempre se comportou muito bem, obrigado, até o dia em que deixa uma mensagem equivocada na secretária eletrônica de sua namorada, Susan Way. Arrependido, toma a decisão mais natural possível: escalar o prédio dela e invadir seu apartamento para roubar a fita com a gravação. Na vizinhança, Dirk Gently bisbilhota os arredores com seu binóculo quando presencia o ato tresloucado do antigo colega de faculdade e decide entrar em contato para lhe oferecer seus serviços investigativos. Depois de uma série de acontecimentos bizarros, o detetive percebe uma interconexão obscura entre a atitude estapafúrdia do amigo e o assassinato de Gordon Way – irmão de Susan e chefe de Richard, que passa a ser suspeito do crime. De uma hora para outra, os dois veem-se envolvidos num caso incrivelmente estranho, com elementos díspares e desconexos que, no final, conseguem se encaixar de forma perfeita e construir uma trama típica de Douglas Adams.

Já ouvi muitos elogios sobre a escrita de Adams, tanto é que quando saiu o lançamento pelo Arqueiro, fiquei empolgada pela leitura, mas de certa forma o livro não me surpreendeu. Pelo contrário, fiquei um tanto decepcionada com ele, de modo geral, pelo ritmo da trama.

Conhecemos o engenheiro Richard, que trabalha junto com seu cunhado Gordon Way, que é uma pessoa complicada no trabalho, que faz pressão sobre as outras por resultados e fala mais do que deve.

Richard, que mesmo sendo dentro da linha, tem um momento de colapso, invadindo o apartamento da namorada para resgatar uma gravação que ele havia deixado na secretária eletrônica.

Dirk Gently está observando tudo de longe. Ele, como trabalha com investigação, sempre está de olho em tudo ao seu redor, pois quaisquer situações poderão precisar de seus serviços de investigação.

Em uma de suas cobranças, Gordon chega a pedir ajuda de sua irmã, Susan, para cobrar seu namorado sobre uma finalização de um projeto importante e durante a ligação, ele ouve um barulho vindo do seu carro. Quando chega mais perto, o silêncio toma conta do ambiente.

A partir daí temos um mistério do que aconteceu com ele, um suspense com quem estava com ele durante a ligação.

Infelizmente a leitura não foi tão boa para mim, o que realmente é uma pena. Mesmo assim acredito que para aqueles que gostam da escrita do autor e histórias de ficção científica, seja um prato cheio.

Pretendo ano que vem ler novamente para ter uma visão mais ampla. Quem sabe eu não acabo mudando de opinião? ;)


O trabalho da editora mais uma vez muito boa, diagramação ótima para leitura e a capa realmente é muito bonita.

Nenhum comentário

Postar um comentário