[Resenha] A sétima cela


OLHO POR OLHO.

Vivemos em um mundo pós apocalíptico, mas não da forma que vemos na Bíblia ou em outros livros distópicos. Nossa personagem principal está atordoada, mas sabe que foi necessário matá-lo. Quem é ele? Jackson Paige, famoso por participar de reality shows e instituições de caridade? Quem é ela? Martha Honeydew, com apenas dezesseis anos.

Há agora no mundo uma lei chamada Lei dos Sete Dias de Justiça. A cada dia, ela é colocada em uma nova cela no corredor da morte. Martha é a primeira adolescente a enfrentar a pena de morte. É também a primeira a ser julgada pelo sistema "Votos para Todos", uma forma democrática, onde o povo decidiria seu futuro. Cadeira elétrica ou liberdade?

Além disso, as classes sociais que conhecemos hoje mudaram de nome e são facilmente identificadas pelo lugar em que moram, como por exemplo "Cidade", "Avenidas" e "Arranha-Céus", que aliás é o lugar onde Martha mora, um dos mais pobres da Inglaterra. 

Mas voltando ao novo sistema de julgamentos... Além de deixar nas mãos do povo, há um programa tendencioso e sensacionalista chamado Morte é Justiça (uma espécie de BBB, misturado com Datena e Casos de Família). É através dele que a população consegue ter a visão dos fatos e decidir pelo extermínio ou pela absolvição. O grande problema é que a democracia por muitas vezes é corrompida. Podemos ver que isso acontecera no passado. Será que isso não permanece até o momento em que viviam? Quantos inocentes já não morreram na cadeira elétrica por conta de pessoas influenciadoras?

E a pergunta que não quer calar: será que Martha é realmente a culpada? Um segredo será revelado. Ele poderá salvá-la?


DENTE POR DENTE.

Posso falar que quando eu comecei a ler só sabia pensar em: isso é muito Black Mirror? HAHAHAHAHA. E eu mal postei ontem sobre a leitura que estava fazendo e já termine. Sério gente, não teve como esperar. Muito menos pra resenhar, porque senão eu perdia o fio da meada, hahaha. 

Aliás, o começo demorou a engrenar, mas sabia que a história tinha um grande potencial, então não pensei em nenhum minuto em desistir. Em A sétima cela encontramos diversas narrativas dentro de um mesmo capítulo. Podemos acompanhar o que Martha pensa, o que acontece com ela no passar dos sete dias. Também vemos a Assistência Psicológica, ministrada pela Eve. Algumas passagens em que acompanhamos a vida de Eve. E não podemos nos esquecer que às 18:30 o programa Morte é Justiça, apresentado por Kristina Albright, que é uma espécie de BBB do corredor da morte. Um adendo: dentre todos os personagens mesquinhos e que deveriam morrer ali dentro, Kristina ainda é a minha indicada. Ô mulherzinha do capeta!

Outro ponto a ser tocado foi a grande sacada da autora ao separar os capítulos pelo número de celas que Martha passaria. Então acompanhamos o dia da protagonista e dos demais que estão ao seu redor, direta ou indiretamente, ao mesmo tempo em que ela está na cela, sofrendo as mais diferentes formas de pressão psicológica e física, porque para a nova sociedade, quanto mais dor o acusado sentir, mais ele vai pedir para chegar o sétimo dia e queimar feito madeira. 

A maior parte da narrativa é em terceira pessoa, ou seja, temos um narrador observador, contando tudo o que ele está vendo acontecer. As únicas passagens que encontramos em primeira pessoa são intituladas de Martha, que, como o próprio título diz, é nossa protagonista quem nos fala o que ela está sentindo dentro de cada uma das celas. É angustiante imaginar que isso de fato acontece. Claro que não desta forma, cada dia, uma cela mais próxima da morte. Mas ainda assim é demais para minha cabeça em pensar que isso ocorre no mundo. Não que eu seja contra, mas ler este livro me abriu os olhos para algo que, por muitas vezes, não nos damos importância: será que a pessoa está ali porque cometeu tal crime ou só por estar no lugar errado, na hora errada?

Uma coisa que me desagradou um pouco em toda a parte visual do livro é: tem erros na separação das falas... Às vezes você acha que mudou, mas não, é da mesma personagem. Mas tirando isso foi a única coisa que acabei pegando ranço em toda a narrativa. A capa é belíssima e os elementos ali dispostos, só quem ler é que vai sacar, mas eles tem total importância, mesmo que muitos não percebam (foco no passarinho gente, mas foca mesmo). A diagramação interna é muito bonita, embora simples. A única coisa de diferente que temos é na troca de Celas, que as páginas são pretas. No mais, fonte ótima para leitura e num tamanho perfeito.

A única coisa que eu posso dizer a vocês, pessoas de bom coração como eu, é que LEIAM. Sério. Eu não tive tanta certeza na vida ao indicar essa distopia pra vocês. Vão fundo que é maravilhosa!


A sétima cela
Trilogia A Cela - Volume I
Autora: Kerry Drewery
Editora: Astral Cultural
Número de Páginas: 320
Onde comprá-lo: Amazon



Sinopse: Martha Honeydew é a primeira adolescente a ser presa e condenada no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, filantropo, milionário e uma das celebridades mais queridas do país. Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias – cada dia em uma cela diferente – para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa de TV “Morte é Justiça” decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica. Porém, algumas peças não se encaixam na história que Martha conta para a justiça. Ela se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores ainda não sabem. Com a ajuda da consultora psicológica, Eve Stanton, um juiz do antigo sistema jurídico, Cícero, e do seu grande amor, os sete dias que precedem sua execução serão de muita intensidade, sofrimento, descobertas inesperadas e reviravoltas de perder o fôlego. Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Honeydew é realmente culpada? Será que esse sistema jurídico é justo? Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa significar sua própria vida.

24 comentários

  1. Heiii, tudo bem?
    Ainda nao conhecia o livro, mas achei bem interessante a história.
    Adoro um suspense assim e pelo jeito o livro tem tudo um pouco pra nos manter bem presos a leitura.
    Uma pena que tenha esse erro nas falas, atrapalha qdo a gente ta lendo.
    Espero que a Astral revise nas próximas ediçoes.
    Amei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas fiquei muito curiosa com esse enredo, ainda mais com sua descrição do BBB deles e a comparação com Black Mirror que eu amo. Já me ganhou. E claro que fiquei curiosa com o passarinho, o que tem a ver?! Vou ter que ler pra saber. Adorei a resenha.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Esses erros de revisão sempre acabam influenciando a leitura, né? Eu não conhecia essa obra mas fiquei chocada com esse programa tendencioso, me lembrou jogos vorazes, mas certamente a leitura flui por outro caminho. Não é o tipo de leitura que eu faria mas você me deixou curiosa demais.

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas, adorei seus comentários sobre a obra! Achei a premissa muito legal e pelos seus comentários a obra possui vários elementos que me atraem em uma leitura... Espero poder ler em breve <3
    Valeu pela dica!
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Oiee ^^
    Ao mesmo tempo em que eu adoro livros distópicos e apocalípticos, eu morro de medo de viver para ver alguma dessas coisas acontecer *-*
    Onde eu estive esse tempo todo para não conhecer esse livro??? Eu me incomodaria um pouco com o descuidado na revisão (até acho que fico procurando erros, porque sempre encontro algum), mas se a história é tão boa assim, acho que conseguiria ignorar *-* Quero para ontem!
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2018/01/a-vida-sexual-das-gemeas-siamesas.html

    ResponderExcluir
  6. Patroa vc fez tanta propaganda e agora e agora eu quero ler. Me empresta? Kkk
    Apesar de que tenho uma briga com esse genero esse livro em questao fiquei curiosa...

    Bruna
    http://www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  7. Menine, que livro de tirar o fôlego em?
    Eu gosto muito de distopias mas parei de ler faz um tempo porque era sempre uma mesmice sem fim, hoje em dia está difícil achar distopias que valham a pena, mas essa que você apresentou na sua resenha parece ser algo muito diferente e que o tempo de leitura jamais será um tempo perdido.
    Anotei aqui pra lista haha
    Adorei sua resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  8. BBB do corredor da morte, como assim? Já quero! hahahahaha
    Eu não sou muito chegada em distopias, mas a proposta dessa me parece inovadora. Tenho curiosidades para saber mais como funciona essa parte das celas e tudo mais. Assim que der comprarei o livro!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Pela sua resenha esse livro parece ser sensacional! Fiquei curiosa para ler e descobrir mais sobre essa realidade distópica onde a democracia corrompida pode decidir sobre a liberdade ou pena de morte.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Olha sua resenha conseguiu chamar minha atenção, já que não sou muito fã de distopias e salvo as vezes encaro algumas. Pelo visto a narrativa é eletrizante e os acontecimentos ao longo da história nos fazem refletir e ver sob vários aspectos.
    Essa dica me agradaria a leitura, porém por ser uma trilogia acho que vou esperar mais um pouco antes de embarcar na história.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Eu nunca entendo a expressão: isso é muito Black Mirror... rs
    Achei o universo distópico bem diferente de tudo o que já vi por aí e fiquei curiosa. Que pena que você pegou erros , mas acho que isso não te atrapalhou muito né?
    Quero ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Ooi! Se tem uma coisa que está super comum quando algo desmonta o psicológico é "isso é muito black mirror" kkk
    Adorei a premissa da história, pois adoro distopias, e as que leio acabam sempre com a mesma "receita", então a proposta desse publicação da Astral me fisgou. Vou adicionar à minha lista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oiie
    Adoro narrativas pós-apocalipticas, então certamente iria adorar esse livro. Nunca tinha ouvido falar, mas agora já quero o meu exemplar kk Adorei a resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Caramba, a trama desse livro me deu arrepios... rsrs É uma distopia bem diferente de tudo o que já li. Gostei de verdade, a sua resenha deixou todo o suspense no ar. Vou acrescentar à minha lista de desejados.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?

    Eu tenho esse livro na minha estante, apesar de não ter lido. Como estou esperando para o lançamento do último livro da trilogia, não consegui começar a ler, pois sei que ficarei ansiosa para saber o final. Porém, como ele só foi publicado nesse mês lá nos EUA, acho que demorará um pouquinho para chegar nas nossas terrinhas.
    Sobre a história, achei a premissa bem interessante. Eu quero saber como a autora conseguiu criar uma história em que tem essa pressão psicológica e física da personagem. Me lembrou mesmo o BBB, mas é uma versão malvada dele. É uma pena, realmente, que o começo tenha demorado para engrenar, mas lerei sabendo sobre isso, então acho que não me decepcionarei nesse sentido, ;)

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Olá! Confesso que eu nunca fui muito fã de distopias, porém essa em especial me chamou bastante a atenção, principalmente depois da sua super recomendação, rs. Nunca tinha ouvido falar desta obra, mas sem dúvidas, anotarei a indicação! Enfim, adorei a resenha e o seu blog. Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oie, tudo bom?
    Sou muito fã de distopias e fantasia, então daria uma chance a esse livro com certeza! Só não pode ser muito lento no começo, senão acabo desanimando, rs. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  18. O que posso falar ? Ja quero, inumeros motivos tenho para ja estar louca para ler esse livro,amo distopias, amei a comparação com black mirror, reslmente não tem como ser ruim, fiquei ansiosa para fazer a leitura.

    ResponderExcluir
  19. Olá ♥
    Acho incrível a premissa dessa história, imagina viver uma realidade assim? Amo essa pegada da Distopia. A trama é instigante, imagina ter que esperar as pessoas (telespectadores) decidirem sua vida, vendo o seu sofrimento ali e não fazerem nada. Por mais que isso seja um futuro distópico, se nossa sociedade continuar do jeito que está sorrindo da desgraça alheia (desculpa o termo) não vai demorar muito para o enredo desse livro se tornar real. Gostei muito da sua resenha, parabéns.

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu ainda não conhecia o livro. Gostei bastante do enredo, achei bem diferente entre o gênero. Fiquei bem curiosa sobre como acontece o programa, pelas referências que você deu.
    Essa capa está linda!
    Tammy

    ResponderExcluir
  21. Oie
    Ainda não conhecia o livro, mas achei a premissa bacana por falar abordar um suspense que mexe com nosso psicológico. A comparação com BM só me fez querer ler a obra. Achei também parecido com Fragmentados. Aliás, a proposta de distopia é sempre inovadora.
    Gostei da sua opinião.

    P.S: Achei seu layout igual ao do Faces Em Livros. Valeu a inspiração. :*

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Eu já tinha ouvido falar do livro mas confesso que nunca parei para ver do que realmente se trata. Parece ser uma obra eletrizante e apesar de ter um começo bem lento parece valer a pena heim. Achei bem legal também essa ideia da autora de dividir os capítulos de acordo com as celas da personagem, bem original.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Esse lance de erro na separação das falas irrita mesmo nós leitores que gostamos de tudo certinho.
    Nossa, adoro distopias, e se essa tem uma proposta totalmente diferente de outras é claro que não dispenso.
    Já achei bem tenso, o lance da lei dos sete dias e celas, quando vi que uma adolescente é que passará por tudo numa espécie de bbb fiquei de queixo caído, quero ler agora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Olá, tudo bom?
    A primeira coisa que pensei quando comecei a ler sua resenha foi: é muito black mirror! hahaha
    Confesso que não sou muito de distopias, mas fiquei bem curiosa com essa, principalmente por esse programa bem sensacionalista que decide através de votos populares quem vai morrer. Já quero conferir a crítica social por trás disso.
    Amei a resenha e as fotos! Sugestão anotada ♥
    Beijos!!

    ResponderExcluir